Publicado em Deixe um comentário

Síndrome do intestino irritável – SII

A síndrome do intestino irritável (SII) refere-se a uma doença que envolve dor abdominal e cãibras, além de alterações nos movimentos intestinais. Sinônimos: Cólon irritável, colite espástica. Síndrome do intestino irritável, não é a mesma que a doença inflamatória intestinal (DII), que inclui doença de Crohn e colite ulcerativa.

Causas: Existem várias possíveis causas da SII. Por exemplo, pode haver um problema nos músculos do intestino ou o intestino pode ser mais sensível a alongamento ou movimento. Não há problema com a estrutura do intestino. Não é claro o motivo pelo qual os pacientes desenvolvem a SII, mas em alguns casos, ela ocorre depois de uma infecção intestinal. É chamada SSI pós-infecciosa. Também pode haver outros desencadeadores.

O estresse pode agravar a SII – O cólon é conectado ao cérebro por meio de nervos do sistema nervoso autônomo. Esses nervos se tornam mais ativos em momentos de estresse e pode fazer com que o intestino seja espremido ou se contraia mais. Pessoas com SII podem ter um cólon que seja excessivamente sensível a esses nervos. Faz-se necessário um tratamento com chá de mulungú para o combate do estresse, nervosismo e ansiedade

Quando ocorre? A SII pode ocorrer em qualquer idade, mas frequentemente começa na adolescência e no início da fase adulta. Ela é mais comum em mulheres. Essa é a reclamação intestinal mais comum pela qual os pacientes consultam um gastroenterologista.

Exames: Na maior parte do tempo, seu médico pode diagnosticar a SII com base nos sintomas fazendo poucos testes ou nenhum teste. Seguir uma dieta sem lactose por 2 semanas pode ajudar o médico a avaliar se há possível deficiência de lactase.

Não existe um teste para diagnosticar a SII, mas é possível fazer testes para descartar outros problemas:

  • Exames de sangue para ver se você tem uma contagem baixa de glóbulos sanguíneos (anemia);
  • Culturas de fezes para descartar uma infecção;
  • Alguns pacientes precisarão fazer uma sigmoidoscopia ou colonoscopia. Durante esses testes, um tubo oco é inserido pelo ânus. O médico pode ver pelo tubo.

Você poderá precisar desses testes se:

  • Os sintomas começarem na maturidade (após os 50 anos);
  • Você apresentar sintomas como perda de peso ou fezes com sangue;
  • Seus exames de sangue estiverem alterados (como contagem baixa de glóbulos sanguíneos).

Outros transtornos que podem causar sintomas similares incluem:

  • Doença celíaca;
  • Câncer de cólon (embora o câncer raramente cause os sintomas típicos da SII, a menos que haja sintomas como perda de peso, sangue nas fezes ou exames de sangue alterados);
  • Doença de Crohn ou colite ulcerativa.

Sintomas de Síndrome do intestino irritável – Os sintomas variam de brandos a graves, entretanto, a maioria das pessoas tem sintomas brandos. Como exemplo podemos citar os seguintes:

  • Dor abdominal;
  • Sensação de estar cheio, repleto;
  • Gases e inchaço por pelo menos 6 meses são os principais sintomas da SII.;
  • A dor e os outros sintomas muitas vezes após as refeições. Vêm e vão. São reduzidos ou desaparecem depois de um movimento do estômago.

Constipação ou diarreia? Os dois ou um só?

Pessoas com diarreia: têm evacuações frequentes, sem controle e líquidas. Eles sentem uma necessidade constante e urgente de evacuar que é difícil de controlar.

As pessoas com constipação: têm dificuldade na passagem das fezes e movimentos intestinais menos frequentes. Elas muitas vezes têm necessidade de evacuar e sentem cólicas com os movimentos do intestino. Muitas vezes, elas não eliminam fezes ou eliminam apenas uma pequena quantidade de fezes.

Em algumas pessoas, os sintomas podem se agravar por algumas semanas ou um mês e diminuir por um tempo. Em outras pessoas, os sintomas se manifestam na maior parte do tempo e podem até aumentar lentamente. As pessoas com SII também podem perder o apetite.

Tratamento sugerido pela A Loja do Chá de Aracaju:

Use Chá de Mulungú: Atua contra o estresse e nervosismo. Use da seguinte forma: Adicione uma colher (chá) do pó de mulungú em uma xícara, complete com água fervente, mexa, tampe e deixe amornar. Beba todo o conteúdo 15 minutos antes de ir deitar. Embora estresse não possa causar DII, ele pode fazer com que seus sintomas fiquem muito piores e pode desencadear uma recaída. Eventos estressantes podem ser desde um pequeno incomodo até algo pior, perda de emprego ou morte de uma pessoa querida. Quando você está sob estresse, seu processo digestivo normal muda. Seu estômago se esvazia mais lentamente e secreta mais ácido. Estresse pode também acelerar ou diminuir a passagem de fezes através de seu intestino. Isso pode, também, causar mudanças no tecido intestinal.

Use o composto Inflatestin: Quem sofre de doenças inflamatórias intestinais como colites e doença de Crohn pode prevenir sintomas indesejáveis como diarreia, dores abdominais, vômito e mal estar a partir da ingestão do composto Inflatestin (aloe vera, mel,  gengibre, curcumina e bromelina). Este composto facilita o tratamento que deve ser feito por pelo menos 03 meses. Cada unidade do Inflatestin contém 1 litro do composto e é suficiente para 20 dias. Como se usa o Inflatestin: Dilua uma colher (sopa) em 100 ml de água natural, ingira de uma só vez, faça 03 vezes ao dia (08 – 15 e 19 horas).

Use o Kit para Intestinos com Nosodioterapia: Cremos muito na nosodioterapia por ser um produto de alta tecnologia, com elevados índices de cura e melhora em diversas patologias, desenvolvida a partir de significativas descobertas científicas, apreciada por grandes centros de medicina mundo afora e, ser ao mesmo tempo, algo tão simples e inovador. A nosodioterapia é chamada de a “medicina do terceiro milênio”, para saber mais clique aqui!

Para encomendar o produto escolhido basta clicar na imagem dele abaixo e, na página que abrir, clicar em comprar:

Conheça agora as particularidades dos produtos que compõem o Inflatestin:

A aloe vera ou babosa: É considerada uma das plantas mais benéficas do reino vegetal. Embora o seu uso seja normalmente associado às aplicações cosméticas (pele e cabelos) ou no tratamento de queimaduras, essa planta tem muito mais a oferecer. Quando ingerida na forma de gel ou suco, a aloe vera pode agir na redução de índices de colesterol ruim, ajudar na dissolução de pedras nos rins, no tratamento de úlceras, no combate à síndrome do intestino irritável, no alívio dos sintomas da doença de Crohn e outros problemas digestivos.

Estudos apontam que o bom resultado da aloe vera no tratamento da Colite e da doença de Crohn se deve à ação do acemannan, um composto presente na babosa, que atua junto com os gliconutrientes para acelerar a regeneração celular, regularizando o pH do intestino e limpando o trato gastrointestinal. Embora muitos pacientes relatem melhora significativa nas dores gastrointestinais a partir do consumo regular do chá de aloe vera, os efeitos não são imediatos, sendo necessário a utilização da bebida por várias semanas.

Gengibre: Como planta medicinal, o gengibre é uma das mais antigas e populares do mundo. Suas propriedades terapêuticas são resultado da ação de várias substâncias, especialmente do seu óleo essencial que contém agentes como o canfeno, felandreno e zingibereno. Dentre os inúmeros benefícios está o poder de ser anti-inflamatório. É normalmente ingerido para combater doenças respiratórias, mas também costuma ser útil no combate ao enjoo e ao vômito, pois suas propriedades atuam diretamente no trato gastrointestinal aumentando o tônus, estimulando a autonomia dos movimentos gastrointestinais e facilitando o processo digestivo.

É muito eficaz no alívio de sintomas como enjoo e dores abdominais, além de evitar a formação de gases, sendo, portanto, muito utilizado entre pacientes que sofrem de colite ou doença de Crohn para aliviar os sintomas da doença. Entretanto, como toda erva medicinal, é necessário tomar certos cuidados com a administração do gengibre. O uso excessivo pode afetar o tempo de sangramento do organismo e o sistema imunológico do paciente.

Cúrcuma: Também conhecida como açafrão-da-terra, é uma especiaria cultivada em diversos países tropicais. Possui um ingrediente ativo chamado curcumina, que tem sido apontado por estudiosos como promessa no tratamento de Crohn e outras doenças inflamatórias intestinais. A curcumina inibe um agente inflamatório chamado NF kappa-B, além de diminuir a congestão e a inflamação das membranas mucosas que revestem o estômago e o intestino. Sua composição também apresenta propriedades antibacterianas que ajudam a prevenir infecções. Como se trata de um tempero de sabor cítrico e levemente picante, muitas pessoas tem utilizado a cúrcuma como ingrediente culinário com finalidades medicinais. O consumo em doses elevadas pode provocar azia e dores no estômago. Mulheres grávidas, pessoas com cálculos biliares e doenças hemorrágicas devem consultar um profissional de saúde antes de tomar suplementos de cúrcuma.

Bromelina: A bromelina é uma enzima digestiva natural extraída do abacaxi que desdobra as proteínas alimentares, facilitando o melhor aproveitamento dos nutrientes, favorecendo e acelerando a digestão de alimentos pesados. É um anti-inflamatório natural que alivia os sintomas de distúrbios gastrointestinais, inclusive da doença de Crohn e da Colite. Pesquisas apontam que a bromelina age na ativação de células anti-inflamatórias e imunológicas capazes evitar o desenvolvimento do câncer e outras doenças crônicas.

Mel: O mel é um alimento saboroso e versátil. Fortalece a imunidade, melhora a digestão, o fluxo intestinal (aliviando a prisão de ventre). Tem características como: antisséptico, antibiótico, antioxidante, antirreumático, diurético, digestivo, expectorante e calmante. É naturalmente doce, contém proteínas e sais minerais potássio e magnésio, por exemplo). Mas cuidado, mel engorda (tem quase as mesmas calorias do açúcar branco), deve ser evitado por crianças entre 1 a 3 anos e diabéticos.

Atenção: Qualquer produto citado neste post não é um medicamento e não substitui o tratamento médico. Terapias citadas neste post não substituem a visita ao seu médico regularmente.

blank
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *