Publicado em

Protetor solar e alimentação cuidadosa ajudam a prevenir o câncer de pele

Vejo logo na entrada principal para a Praia de Atalaia, praticamente debaixo dos arcos que são avistados de longe, dezenas de vendedores de protetores solares, de bronzeadores sem fim e vejo também, quando vou almoçar na praia, que o horário das pessoas chegarem para pegar “aquele bronze” é bem próximo do meio dia ou após ele.

O que será que têm na cabeça além dos cabelos, caspas, presilhas, piranhas e laços de fita? Acho que nada… Porque ir para a praia em horário em que deveriam estar bem abrigadas é no mínimo loucura ou um amor estranho por câncer de pele… Nesta vida tem de tudo.

Tem também aqueles que com medo de se expor ao sol, usam e abusam de protetores solares, pois a camada que passam de tais produtos é tão grossa, que a pobre da pele quase não consegue respirar. E tome sol na coitada.

Outras pessoas não vão à praia com medo da radiação… Coitadas, a tal da radiação entra pelas portas e janelas sem cerimônia e sem ser convidada. A pele precisa da proteção dentro de casa também.

Assim como o excesso de exposição ao sol, a falta de contato da pele com os raios solares pode fazer mal a nossa saúde. Tudo deve ser bem balanceado, há estudos que confirmam que para cada caso de câncer de pele por exposição solar há vinte outros de câncer de seio ou próstata causados por se evitar demais o sol.

Um alimentação pobre em nutrientes vitais ao nosso organismo é a causa da maioria dos cânceres de pele, inclusive o temido melanoma. Perdi um amado com um melanoma da classe Clark III, um dos mais invasivos. Começou com uma insignificante protuberância no peito do rapaz. Foi cuidado com tudo que a alopatia, a fitoterapia, a argiloterapia, a nosodioterapia têm para oferecer. E cinco anos depois ele, o câncer, aparece como metástase no cérebro, dando uma única dor de cabeça que levou o rapaz à internação hospitalar e em 32 dias à morte. Não teve tempo hábil para que alguma coisa desse resultado, mas foi duro constatar que nada do que foi tentado deu jeito. Há patologias que em seu tempo são assim, não para a cura, porque chegou o dia determinado para que a pessoa saísse deste planetinha, indo ao encontro de sua outra vida, que espero seja muito, mas muito mais feliz.

E hoje, quando vejo centenas ou milhares de jovens torrando-se ao sol sergipano, fico pensando no que mais posso fazer para alertar. Quando tento conversar com um deles, normalmente responde: “Fique fria, tia”. E eu tento, com certeza tento, mas a inquietação me envolve, me domina.

Não podemos ficar sem o sol. Além dos motivos citados acima, ele é responsável pela fixação de vitamina D em nosso organismo e, por isso, está diretamente relacionado à quantidade de cálcio em nossos ossos, às nossas chances de vir ou não a ter mal de Parkinson, ao controle ou descontrole da pressão arterial e a várias outras doenças.

Com tantos benefícios que a exposição ao sol controlada pode trazer graças à absorção da vitamina D, outros meios para prevenir do câncer de pele se mostram mais eficazes do que ficar sem sair de casa ou debaixo de uma camada grossa de protetor solar.

Claro está que os índices de câncer e o uso de protetor solar têm aumentado muito. Um pela mídia que procura vender, vender, vender.. O outro pela exposição inadequada em tempo e em horário debaixo do sol escaldante, próprio de um país tropical como este nosso Brasil. Para mim, significa que o uso do protetor não garante imunidade. Ele deve ser usado, mas com sabedoria e sem exageros. Sempre em camadas finas e repeti-las quando a pele começar a mostrar um leve tom de rosa. Procure não passar o protetor solar no sol, dê uma chegadinha num local de sombra e use com parcimônia.

E quanto à alimentação? Siga os bons conselhos de uma alimentação de acordo com suas necessidades, com a quantidade exata de proteínas, carboidratos, gorduras e açúcares, que se consumidas na quantidade ideal para o seu corpo, podem ter um fator de proteção contra o câncer maior do que o protetor solar.

Atenção: Qualquer produto citado neste post não é um medicamento e não substitui o tratamento médico. Terapias citadas neste post não substituem a visita ao seu médico regularmente.

Deixe um comentário ou resposta...