Publicado em

Óleo de côco: Seus triglicerídeos beneficiam o cérebro e a memória

Todos nós temos um medo (pelo menos), eu tenho medo do Mal de Alzheimer. Acho terrível perder a memória, não ter mais o controle do corpo, da mente, ficar sem orientação, perder o rumo e o prumo… Daí, tudo que diz respeito à proteção do cérebro, da memória interessa-me sobremaneira. Mas vamos ler sobre o óleo de côco, que é um alimento saudável, e, se bem não lhe fizesse, mal não haveria de lhe fazer… Todos nós já sabemos dos inúmeros benefícios do consumo regular do óleo de côco. Direta ou indiretamente, o óleo de côco promove uma ação antioxidante, anticonvulsiva, antiviral, antitóxica, antiespasmódica, antitrombolítica, anticâncer, pro-memória, pro-mielinização dos nervos, pro-atenção, pro-normalização do colesterol, entre muitos outros. Uma "usina de saúde"!

Recentemente, foi observado um caso impressionante de melhora de um quadro avançado da Doença de Alzheimer. Uma médica americana, Dra. Mary Newport, vivia o drama da doença com seu próprio marido, e custava-lhe muito ver sua memória e orientação degradar-se dia após dia. Como boa profissional, ela seguia atentamente o tratamento que era sugerido para seu marido, mas tudo o que via era ele ficar cada dia pior. Sua memória degradava-se, já nem conseguia orientar-se no tempo e no espaço, e estava fisicamente debilitado.

Partiu então para uma pesquisa por conta própria, e chegou a estudos sobre os efeitos que os triglicerídeos de cadeias médias tinham no cérebro e na memória, e resolveu experimentar essa linha de abordagem. O óleo de côco é riquíssimo nesse tipo de triglicerídeos, de modo que, baseada nas quantidades sugeridas pelos estudos, ela começou por lhe oferecer cerca de três colheres de sopa no café da manhã. Afinal, não tinha nada a perder – o óleo de côco é um alimento saudável, e, se bem não lhe fizesse, mal não haveria de lhe fazer.

Antes de começar a oferecer-lhe o óleo de côco, a Dra. Newport submeteu o marido, Steve Newport, a um teste simples usado para verificar o avanço da demência em pacientes neurológicos. Foi solicitado a ele, que desenhasse um relógio. ANTES do início do Óleo de Côco Virgem, pouco restava do conceito de "relógio". Depois de duas semanas consumindo regularmente o óleo de côco, novamente lhe foi solicitado que desenhasse um relógio. E ele desenhou.

Mas, como é que os triglicerídeos de cadeia média do óleo de côco agem contra a Doença de Alzheimer?

Durante a digestão, os triglicerídios de cadeia média são transformados em ácidos graxos de cadeia média, alguns dos quais são convertidos em cetonas. O tecido nervoso, incluindo o cérebro, se vale da glucose para obter energia. As células nervosas também podem converter cetonas em energia. Quando a glicose é restrita, o corpo converte a gordura em cetonas, que supre o cérebro com a energia que ele necessita para funcionar como previsto.

Certas condições, tais como inflamação crônica, podem levar as células a se tornarem resistentes à insulina. A insulina é um hormônio que leva a glucose do sangue para as células. A glucose não pode entrar nas células sem a ajuda da insulina. Quando ocorre resistência à insulina, os receptores de insulina não funcionam muito bem e não conseguem transportar adequadamente a glicose para dentro das células. Quando a inflamação afeta o tecido nervoso, as células nervosas se tornam resistentes à insulina. Portanto, o cérebro se torna impossibilitado de receber a glicose que necessita, e as células nervosas se degeneram e morrem, levando a problemas neurológicos, tais como a Doença de Alzheimer, Doença de Parkinson e outras.

Hoje, pouco mais de dois anos depois, Steve Newport toma três a quatro vezes mais óleo de côco do que as 3 colheres de sopa desse período inicial, e não se pode dizer que a doença esteja curada… Mas, seus progressos são extraordinários, na medida em que ganhou mais independência, já se veste sem dificuldade e realiza tarefas produtivas sozinho. Deixou de ter uma série de sintomas Além do evidente progresso no reconhecimento do conceito e das formas, sua memória havia melhorado visivelmente, e já não se mostrava tão desorientado. E, finalmente, 37 dias depois, o paciente foi solicitado mais uma vez a desenhar um relógio. 37 dias DEPOIS do início do Óleo de Côco Virgem isso é extraordinário, não? Em pouco mais de 1 mês, que diferença! físicos, como tremores e perda visual, caminha sem perder o equilíbrio e já não tem sintomas de depressão. Sua memória recente está razoavelmente equilibrada, já não está tão distraído e sua comunicação verbal melhorou a ponto de manter uma conversa quase normal.

O que a história da busca da Dra. Mary Newport nos deixa, é lição de que uma simples interferência na alimentação talvez (ainda!) não possa curar doenças como Alzheimer ou Parkinson – embora certamente tenha melhorado extraordinariamente a qualidade de vida do paciente e seus familiares – mas certamente poderá ser capaz de, além disso, evitar que a doença se desenvolva, ou mesmo se instale.

Atenção: Qualquer produto citado neste post não é um medicamento e não substitui o tratamento médico. Terapias citadas neste post não substituem a visita ao seu médico regularmente.

Um comentário sobre “Óleo de côco: Seus triglicerídeos beneficiam o cérebro e a memória

  1. Maravilhosa matéria vou começar a tomar…Obrigada

Deixe um comentário ou resposta...