Publicado em

Mau Hálito e Colesterol alto: Jiló neles.

Nem sempre o que é agradável ao paladar o organismo agradece o consumo. É o caso do açúcar, doce e maléfico. Já o amargo do jiló, que não precisa ser tão amargo assim, é totalmente benéfico a qualquer organismo. Esse vegetal odiado por tanta gente pode ter mais benefícios do que se imagina. Mais da metade da população diz não gostar de jiló, mesmo não tento provado, ou alguns provam e não gostam do gosto amargo.
Mas o que poucas pessoas sabem é que o jiló é muito rico nutricionalmente e deveria ser consumido sempre. Poucas pessoas sabem também que aquele sabor amargo pode ser diminuído deixando o jiló de molho em água com sal antes do preparo. O que não é lá muito bom, pois quando escorrer a água irão junto vários nutrientes.
O ideal é cozinhar o jiló com 2 colheradas de água, tomate, cebola e cheiros verdes. eles deixam de ter o sabor amargo, e se você deixar secar o restinho do caldo e mexer um pouco de farinha terá uma farofa de primeira qualidade.
Ao contrário do que muita gente pensa, o jiló não é um legume, e sim um fruto. Esse fruto é um grande aliado no combate a halitose, protege o sistema cardíaco e pode até auxiliar na perda de peso. O jiló é rico em Vitaminas do Complexo B e C , Vitamina A, além de possuir na sua composição cálcio, minerais, magnésio e ferro, o que possibilita o combate do mau colesterol e o mau hálito nas pessoas.
O consumo regular do jiló ainda auxilia na proteção das artérias, evitando o acúmulo de gordura e o aumento do colesterol. Isso é graças aos flavonóides, substâncias antioxidantes presentes nesse fruto.
Cem gramas de jiló possui somente quarenta calorias, por isso pode ser consumido sem culpa.

Atenção: Qualquer produto citado neste post não é um medicamento e não substitui o tratamento médico. Terapias citadas neste post não substituem a visita ao seu médico regularmente.

Deixe um comentário ou resposta...