Publicado em

Livro: Ervas Medicinais Fonte de Saúde e Longevidade

Neste post estou colocando excertos do livro "Ervas Medicinais Fonte de Saúde e Longevidade" cuja autora, Cleuza Nacimento, merece que você, interessado em fitoterapia, compre o livro. Pelo que li, concordo com as colocações dela, e a parabenizo pelo lançamento do livro. Precisamos de gente inteligente como Cleuza para desmistificar o que andam dizendo e ensinando de forma errônea por aí. Malva Gomes dos Santos
As ervas medicinais, têm propriedades que lhes conferem ação na melhora e até na cura de algumas doenças. Por meio delas podemos repor substâncias e até nutrientes que não são ingeridas por meio da alimentação. As substâncias presentes nos chás podem regenerar os danos causados em um órgão, também tem mostrado efeito na prevenção de doenças.
O livro Ervas Medicinais Fonte de Saúde e Longevidade não surgiu evidentemente de nenhuma inspiração momentânea. Pelo contrário, é fruto de 41 anos de estudo das ervas medicinais. Corresponde a uma compilação aprimorada das ervas por mim utilizada e extensivamente testada. Ofereço ao leitor diversas informações muito desejáveis e pouco encontradas nas literaturas do mesmo gênero atualmente comercializada. Ao longo do livro, exemplos cuidadosamente selecionados são apresentados, para que o leitor compreenda a importância das plantas medicinais. Assim, uma combinação muito cuidadosa de teoria e prática permeia todo o livro. Ele traz alternativas importantes e de grande proveito para todas as famílias. Há dezenas de abordagens extremamente simples, naturais e acessíveis. Um livro para toda a família, com ensinamentos úteis para toda a vida. O objetivo é conscientizar com informações de profunda importância.
No capitulo Envelhecer sem ficar velho mostro que ainda não existe uma fórmula para evitar o envelhecimento, mas que podemos prolongar a vida e interferir na maneira como envelhecemos, contribuindo para ampliar a expectativa de vida. As ervas medicinais são uma das maiores fontes para ajudar na longevidade.
A fitoterapia é o método de sugestão mais procurado, que mais cresce no Brasil e no mundo. A procura pela fitoterapia aumenta constantemente e o mercado exige profissionais verdadeiramente conhecedores dela. No entanto, temos poucos profissionais que realmente conhece e entende de fitoterapia.
Todos nós já recorremos as ervas medicinais algum dia, ou ainda vamos recorrer, porque, independentemente da pessoa, em alguma fase de sua vida, ela pode se deparar com uma doença para a qual a medicina ainda não tem cura. E as plantas que têm surpreendido com resultados para enfermidades nas quais não há mais nada a fazer, podem ser a solução para muitas delas.
Um dos maiores riscos no uso de ervas é a falta de informações confiáveis e a abundância daquelas equivocadas e erradas. Existem informações que até mesmo nos cursos de fitoterapia, em livros, revistas e nos sites e blogs sobre o assunto apresentam erros.
Até recentemente as pessoas recebiam a informação de que para o chá funcionar tinha que ter fé. Felizmente, com o envolvimento da ciência e com a tecnologia disponível, hoje podemos mostrar que a erva age porque tem seus princípios ativos; não é necessário ritual para o chá fazer efeito.
Age lentamente
Até os “entendidos” de planta medicinal dizem por aí que as ervas agem lentamente. Ao contrário, elas tem ação rápida e algumas vezes, até imediata, contrariando a ideia de que agem devagar.
Quais doenças podem ser cuidadas com ervas?
Todas. As ervas são eficazes e podem auxiliar até mesmo nas doenças, crônicas e graves. O mais importante é que as ervas surpreendem com excelentes resultados, mesmo quando outros recursos já se esgotaram.
As ervas medicinais podem e devem ser utilizada conjuntamente à terapêutica convencional ou quando não se obtêm desta os resultados esperados. Elas têm surpreendido com resultados para doenças nas quais não há mais nada a fazer. O fato é que abordagens terapêuticas feitas com as ervas medicinais realizam curas e têm aliviado uma dor por mais intensa que seja (em poucos minutos), quando nem mesmo a mofina ajudou, e também têm controlado a evolução de doenças graves, até curando-as.
São gastos R$ 10 bilhões em medicamentos por ano no Brasil, segundo o Ministério da Saúde. Outros bilhões também são gastos com as internações hospitalares que poderiam ser reduzidas se optássemos pelas plantas que, em vez de mascarar o sintoma, curam.
Veja nos relatos que descrevi em A fitoterapia é polivalente. Num dos casos, a pessoa realizou 16 cirurgias. Faça as contas dos custos que ela deu ao seu plano de saúde ou ao SUS. Seu problema de saúde foi resolvido com um gasto mínimo.
As ervas tem ação rápida e algumas vezes, até imediata. As plantas medicinais, como parte de um conjunto de medidas, contribuem como um recurso complementar das sugestões convencionais.
Diante de qualquer sintoma, é imprescindível interpretar corretamente o que ele quer dizer. O uso de plantas medicinais é seguro como auxílio para uma doença já diagnosticada, é imprescindível que haja um diagnóstico correto do que deve ser cuidado, mesmo quando se pretende fazer uso de erva medicinal. A avaliação médica é imprescindível e fundamental. Toda doença exige diagnóstico e supervisão médica.
Os profissionais, cada qual na sua área, não devem ser menosprezados. Todas as terapias contribuem, cada uma a seu modo, para restabelecer a saúde.
Apesar dos efeitos colaterais provocados, não devemos rejeitar a alopatia. Ela é imprescindível em algumas condições clinicas.
A fitoterapia promove resultados onde não há mais nada a fazer.
Por isso basear-se apenas em evidências e fundamentação científica ou se ancorar nessa alegação, com a valorização absoluta da objetividade científica, para aceitar como legítimo um sugestão, parece preconceito contra uma prática vinda da sabedoria popular. Com isso esquecem que a experiência tem mostrado que a eficácia de um remédio não está apenas no estudo científico controlado, podendo ser comparados seus resultados com outras sugestões.
www.otv.tv.br/video/conversa-delas-sobre-como-envelhecer-com-saude-e-disposicao/
Entrevista na otv
No capitulo Envelhecer sem ficar velho mostro que ainda não existe uma fórmula para evitar o envelhecimento, mas que podemos prolongar a vida e interferir na maneira como envelhecemos, contribuindo para ampliar a expectativa de vida. As ervas medicinais são uma das maiores fontes para ajudar na longevidade.

Atenção: Qualquer produto citado neste post não é um medicamento e não substitui o tratamento médico. Terapias citadas neste post não substituem a visita ao seu médico regularmente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *