Publicado em

Libido em falta = Declínio do desejo sexual

A falta de libido é mais comum nas mulheres do que nos homens, porém ocorre também nos homens. Veja que a falta de desejo sexual (libido) é queixa comum tanto do homem quanto da companheira que se sente deixada de lado e não desejada Esse tipo de problema é bem menos comum que a disfunção erétil em si, o que se pode observar é que há homens com o desejo sexual dentro da normalidade, mas que não conseguem uma boa ereção ou um tempo suficiente de ereção para que possa satisfazer a parceira.

Algumas causas físicas podem ser citadas: alcoolismo, drogas, obesidade, hiperprolactinemia (aumento dos níveis do hormônio denominado prolactina, produzido pela glândula hipófise), efeito colateral de medicamentos, baixo índice de testosterona e doenças como diabetes.

No lado psicológico podemos relatar casos associados à depressão, estresse, traumas de infância, homossexualidade latente, e mesmo problemas de relacionamento.

Não há até hoje um medicamento específico para melhora da libido a não ser quando há queda comprovada da testosterona. É importante lembrar que medicações para Disfunção Erétil não melhoram a libido, interferindo apenas na parte de ereção.

Na visão da Terapia Sexual, libido é uma energia provinda do instinto de vida, que promove o interesse, a preservação, a condução para o desenvolvimento, ou seja, o que proporciona a busca do prazer de realização da construção sadia e positiva para o desenvolvimento do ser humano.

Libido é uma energia vital, presente no homem nas suas diferentes fases do desenvolvimento. Na atualidade é a mola principal que desencadeia o interesse, o desejo, a busca do prazer de preservação da espécie. Fatores orgânicos e medicamentos podem afetar a libido.

As frustrações vividas pelas dificuldades na realização da vida sexual podem desencadear uma baixa no desejo, agravando cada vez mais o quadro psicossexual do indivíduo. Drogas, medicações específicas também afetam a libido, trazendo consequências graves no desempenho sexual. Compete sempre a um especialista definir o motivo da causa de perda de libido, se bem que a pessoa que está com o problema, pode bem avaliar as possíveis causas, quando forem emocionais, de relacionamento etc.

Tratamento com Fitoterapia:

01 frasco de Extrato Floral Energetiman: 30 gotas pela manha em 200 ml de água. Tratamento de no mínimo 03 meses ou até eliminar os sintomas.

01 frasco de Extrato Floral Tríbulus terrestris: 30 gotas à tarde em 200 ml de água. Tratamento de no mínimo 03 meses ou até eliminar os sintomas.

Tratamento com Fitoterapia:

Nosodioterapia:

Constitucional de Bach Nº __ (precisamos de sua idade, peso e altura para determinar o Nº) – [email protected]Compre um de cada vez, pois a validade dele é de 03 meses. Tratamento com o Bach é para 01 ano. Cada frasco deverá ser tomado a cada 03 meses. É preciso agendar para comprar com 30 dias de antecedência. O primeiro deve ser tomado no dia seguinte à chegada dos nosódios em suas mãos, pois será tomado em jejum. O 2º agende para 03 meses após o primeiro, 0 3º agende para 03 meses após o segundo e o 4º frasco agende para 03 meses após o terceiro. É um ano de tratamento com o Bach.

Tratamento com Nosódios é para 01 ano. Cada frasco de 30 ml dá para 70 dias, aproximadamente. Pode comprar todos, se quiser e puder, pois a validade deles é de 02 anos.

05 Frascos de Andro Nosódio – Drenador: É utilizado para drenar sintomas masculinos em geral (impotência, dores, e aumento dos testículos) etc.

05 Frascos de Nosódio Testículo: É utilizado nos casos de impotência, infertilidade, dores e demais doenças dos testículos.

Tratamento com Trofoterapia:

Observação: Apesar dos alimentos abaixo serem excelentes para a melhora da libido, muitos deles são muito calóricos e/ou gordurosos e devem se utilizados com parcimônia, lembre-se de que: Não é porque um alimento é bom que o excesso dele será melhor… Se comer demais engordará, entupirá suas veias e artérias, subirá o nível do seu colesterol etc..

Abacate: Rica em vitamina B6, potássio e gorduras boas que melhoram a vida sexual.

Amendoim: Rico em zinco, melhora a produção e a mobilidade dos espermas. A falta de zinco decai em 30% a fertilidade masculina.

Aspargo: capaz de equilibrar os hormônios naturalmente ajuda a aumentar a libido e ainda é saboroso

Aveia: Alimento fito estrogênico que equilibra os níveis hormonais e ajudam a melhorar o desempenho sexual.

Banana: Rica em potássio, magnésio, vitaminas do complexo B e a enzima bromeliade, essa fruta ajuda a aumentar a libido masculina.

Batata doce: Rica em betacarotenos e vitamina A, ajuda a manter os órgãos sexuais em boa forma e ajuda a produzir hormônios sexuais.

Café: a cafeína serve como um estimulante sexual e duas xícaras antes da relação ajudam a dar um pique a mais.

Carne: Rica em zinco ajuda a melhorar o desempenho sexual, mas deve ser magra e com pouca gordura para não prejudicar a ereção.

Caviar: assim como o ovo, é rico em vitaminas B5 e B6, que equilibra os níveis hormonais. Se tiver dinheiro no bolso… Use é muito bom.

Chocolate: Contêm um estimulante alcaloide similar à cafeína, que dá mais pique e libido e ainda ajuda na produção de serotonina, que melhora o humor e o bem-estar.

Cordeiro: Rica em zinco ajudando a manter as artérias saudáveis e a potência masculina.

Farinha de Semente de girassol : Contêm óleos que fazem bem à saúde, potencializam os níveis de hormônio e a libido. Se for usar o óleo não aquecido, dê preferência ao óleo de girassol ou azeite de oliva.

Farinha de Sementes de abóbora : Fonte de zinco melhora os níveis de testosterona no organismo e a libido além de outros benefícios.

Fava verde: Rica em fitos estrógenos ajuda a manter a saúde sexual em pleno funcionamento.

Fígado de boi: pode ser difícil encontrar alguém que goste da iguaria, que é rica em zinco e mantêm ótimos níveis de testosterona no organismo.

Leite: A natureza indicou gordura animal como uma boa maneira de nutrir uma vida sexual saudável e indicou o consumo de leite, margarina e gorduras saturadas para melhorar a produção de hormônios sexuais. Mas… Sabe que eles não fazem bem a seu coração e a outros órgãos. Vá devagar.

Linhaça: Rica em fitos estrógenos e ligninas é excelente para equilibrar os níveis hormonais e aumentar a libido.

Noz-moscada: É estimulante de células nervosas e da circulação, ajudando a aumentar o desejo sexual. Adicione ao café, como indicado acima e melhore o desempenho sexual.

Ostras: ricas em zinco são consideradas um alimento afrodisíaco, pois estimulam a produção de espermatozoides e melhoram a libido. Podem ser consumidas cruas ou cozidas.

Ovos: símbolo da fertilidade, este alimento ainda é rico em vitaminas B5 e B6 que ajudam a combater o estresse e balancear os hormônios. Se tiver problemas com colesterol, não coma todos os dias.

Peixes: Peixes gordurosos como salmão e atum são ricos em ômega-3 e melhora a circulação, facilitando a libido.

Trufas: segundo especialistas, o cogumelo tem uma substância similar aos hormônios sexuais de porcos e que pode exercer efeito no corpo masculino também.

Vinho tinto: Tome apenas 01(uma) taça de vinho tinto seco durante o jantar. Quem faz uso do vinho nesta proporção tem melhora não só na libido.

Vida Sexual e o Mal de Parkinson

A fadiga associada com parkinson pode reduzir a libido. A lentidão do movimento, tremor, rigidez interferem nos aspectos práticos da vida amorosa. E piora muito quando as emoções se descontrolam. O homem pode ter problemas em ter ou manter uma ereção ou não ser capaz de ejacular. Atraso no orgasmo e ejaculação são causas comuns de considerável frustração sexual.

Outros problemas podem surgir, se o casal não fizer mudanças em sua rotina diária e comportamentos sexuais. Se deixarem de valorizar o amor, o companheirsmo, a família e passarem a dar valor apenas ao ato sexual como meta, como alegria e como finalidade de vida.

A disfunção sexual pode ser tratada como já sugeri mais acima. O Extrato Floral de Tríbulus terrestris aumenta o tempo da ereção, o Extrato Floral Energetiman estimula e os Nosódios vão cuidando do restante. Mas há que se entender que uma relação sexual satisfatória revela muito mais do que a capacidade de ter ereções ou atingir orgasmos. A má qualidade do relacionamento de um casal pode contribuir, por si só, para a presença de disfunções sexuais.

Parceiros em que um deles tem doença de Parkinson, por exemplo, podem apresentar diversos problemas sexuais. Contudo com diálogo claro, atenção e ajuda profissional é possível conseguir uma vida afetiva/sexual com muito prazer.

O sexo traz benefícios para a saúde, isso é fato comprovado, como por exemplo queima de calorias, diminuição dos riscos de infarto, relaxamento da musculatura e melhoria o humor. Mas o terror que se apodera das pessoas quando o organismo não está respondendo bem ao que elas querem em relação a sexo, piora e muito o quadro.

A necessidade de intimidade e a expressão sexual como são importantes na qualidade de vida das pessoas, e não é diferente com os portadores do mal de Parkinson, que como qualquer outro portador de qualquer doença também necessita ativar sua vida sexual.

Há mudanças normais das funções sexuais próprias do envelhecimento, como por exemplo: certa diminuição de resposta aos estímulos. Assim as preliminares são essenciais. E na verdade elas representam a parte mais importante da relação sexual, pois diminuem a inibição e aumentam o conforto emocional.

É sabido desde tempos imemoriais que o prazer não se restringe ao orgasmo, mas sim a toda troca de carinho que cada um dos parceiros pode dar ao outro. é como iniciar uma viagem com a qual sonhamos e alegremente irmos percorrendo o caminho para chegar até o objetivo esperado. Mas como em uma viagem, o ato sexual pode vir a ser mais prazeroso no decorrer dele do que no finalmente.

O ato sexual não pode ser resumido apenas na penetração, em gritinhos e em orgasmos que são apenas algumas das muitas formas de se chegar à satisfação desejada. Não pode haver pressa. O afeto, a contemplação, a cumplicidade, a inventividade e a partilha são fundamentais, onde os sentimentos são bem estabelecidos e há confiança mútua.

Mudar o foco, valorizar outros aspectos da relação pode trazer descobertas bem excitantes, do próprio corpo e do corpo do parceiro/a e levar há uma maior facilidade de atingir o orgasmo, pois a brincadeira passa a ser o fundamental e o orgasmo uma consequência natural.

Os casais com mal de Parkinson vivenciam uma marcada redução nas expressões físicas e emocionais. A redução da frequência do toque íntimo tem um efeito negativo na autoestima e aumenta a tensão entre o casal. Inversamente, a restauração da intimidade melhora significativamente o relacionamento do casal.

Atenção: Qualquer produto citado neste post não é um medicamento e não substitui o tratamento médico. Terapias citadas neste post não substituem a visita ao seu médico regularmente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *