Publicado em

Intestinos: Suplementos Nutricionais Recomendados

As afecções intestinais são comuns principalmente em locais de clima quente, tropical, como é o nosso caso. É necessário que tenhamos muito cuidado no trato e conservação dos alimentos, e, como não poderíamos deixar de mencionar, um cuidado extremo com a limpeza e preservação dos alimentos. A cuidadosa lavagem das mãos antes de qualquer refeição é fator primordial para a saúde.

Mas nosso intestino sofre e muito com os alimentos que chegam no estômago em grandes pedaços, pois a maioria das pessoas que sofrem de afecções estomacais e intestinais ainda não entenderam que os dentes estão na boca e não no estômago. É preciso usar mais os dentes, procurando uma mastigação perfeita para ter menos possibilidade de vir a sofrer dos males estomacais, intestinais e sanguíneos, pois os nutrientes não aproveitados pela péssima mastigação e abasorção, deixam o sangue pobre e a anemia está logo ali, expreitando os incautos.

Veja o que você precisa para digerir bem além, logicamente, escolher e preparar bem seus alimentops e não ter preguiça ou pressa durante a mastigação:

Nutrientes Primários:

Enzimas digestivas: Estes compostos ajudam a digerir mais o alimento, ajudando a evitar a retenção de partículas protéicas não-digeridas, que podem iniciar alergias alimentares e facilitar a inflamação.

A bromelaína: é uma enzima digestiva oriunda do abacaxi, demonstrou ter algumas propriedades antiinflamatórias marcantes. Dose sugerida: Ingerir como recomendado com o estômago vazio 30 minutos antes das refeições e antes de ir para a cama. A bromelaína entérica revestida e outras enzimas podem ser muito úteis para o tratamento dos intestinos.

Óleo de hortelã: Estudos clínicos mostram que as cápsulas entéricas revestidas relaxam o músculo liso gastrointestinal e podem ajudar a reduzir significantemente os sintomas da síndrome do intestino irritável. Dose sugerida: Ingerir duas cápsulas 30 minutos antes de cada uma das três refeições.

Enzifruit: Floral elaborado com as principais frutas digestivas, vide mais informações no site: http://alojadochadearacaju.com.br/mostra_produtos.php?id=520 .

Veja agora a relação de vitaminas essencias para afecções intestinais

Vitamina A: Trabalha nas membranas mucosas do intestino. Além disso, a deficiência das vitaminas A, E e K foi observada em uma boa porcentagem dos indivíduos com colite. Estas vitaminas são importantes para o metabolismo adequado da mucosa intestinal. Estudos clínicos descobriram que a suplementação com a vitamina A pode ajudar a cuidar a doença de Crohn. Dose sugerida: 25.000 IU por dia. Se estiver grávida, não ingerir acima de 10.000 IU.

Vitamina D: A deficiência de vitamina D é comum em pessoas que sofrem de distúrbios crônicos do cólon e deve ser suplementada. A deficiência desta vitamina pode levar a uma perda de cálcio dos ossos. Dose sugerida: Ingerir como recomendado.

Vitamina K: Como a vitamina D, pessoas que sofrem de colite tendem a desenvolver deficiências da vitamina K. Esta vitamina é vital para a coagulação sangüínea adequada. Dezoito pacientes com a doença de Crohn ou com colite ulcerativa que receberam suplementos de vitamina K melhoraram. Algas azuis ou preparados de clorofila solúvel em gordura líquida são uma excelente fonte de vitamina K. Ingerir como recomendado.

Vitamina C com bioflavonóides: Os compostos bioflavonóides, especialmente a quercitina, ajudam a inibir a resposta inflamatória no intestino.

Vitamina E: Promove a melhora do tecido de revestimento do intestino e age capturando radicais livres, que podem ser produzidos num trauma dos tecidos. Alguns estudos mostram melhoras dramáticas com a terapia de vitamina E para a colite ulcerativa. Dose sugerida: 400 a 800 IU por dia.

Ácidos graxos essenciais: Ambos, o ácido graxo Omega-3 e o Omega-6 são úteis. O óleo de peixe e a prímula ou o óleo de sementes de linhaça podem fornecer estes ácidos graxos essenciais , nos quais o corpo pode estar deficiente quando há colite. Estudos com o óleo de peixe descobriram que os conteúdos de EPA e de DHA resultaram numa queda de 65% dos componentes inflamatórios encontrados no intestino e uma queda de 80% no número de mutações celulares em cólons afetados. Dose sugerida: Ingerir como indicado

Óleo Omega-3: Estes óleos encontrados em certos peixes e plantas ajudam a normalizar a atividade das prostaglandina que está comprometida na doença de Crohn. Dose sugerida: Ingerir como recomendado. Se estiver usando óleo de peixe, ingira-o com vitamina E.

Ácido fólico: A suplementação com folato pode ajudar a reduzir a diarréia associada a esta patologia. A deficiência de ácido fólico é comum no mal de Crohn. Dose sugerida: Ingerir como recomendado.

Magnésio, zinco, vitamina A e vitamina E: A deficiência de magnésio prevalece em indivíduos com colite. A deficiência de zinco foi constatada em mais da metade das pessoas com o mal de Crohn. Dose sugerida: Ingerir como recomendado. Use produtos de zinco quelados e ingira-os com as refeições.

Suplemento de fibras com psilio: Suplementos contendo psilio ou fibras solúveis em água provaram serem inestimáveis para pessoas com diarréia recorrente crônica, dores e constipação. As sementes ajudam a reduzir o tempo de trânsito intestinal e alivia tanto a constipação como a diarréia. Além disso, normaliza as colônias de bactérias que são tão cruciais para a saúde intestinal. Dose sugerida: Ingerir como recomendado antes de ir para a cama. Garanta o consumo de bastante água durante o dia enquanto estiver ingerindo o suplemento com fibras.

Combinação de ervas: Esta combinação deve incluir astragalus (Astragalus membranaceus) , schizandra, raiz de goldenseal (Hydrastis canadensis) , raiz de alcaçuz, folhas de papaya, raiz de genciana, goma de mirra, Irish moos, sementes de Trigonella (foenum-graecum), raiz de gengibre, raiz de valeriana e gel de Aloe vera. Dose sugerida: Duas ou quatro cápsulas por dia. Náuseas e flatulências são problemas gastrointestinais comuns na colite. Esta fórmula trata dos distúrbios mais comuns e ajuda a cuidar dos sintomas de alguns distúrbios gastrointestinais que são geneticamente herdados.

Raiz de goldenseal: Goldenseal tem sido usada para restaurar a mucosa de revestimento do trato gastrointestinal. Goldenseal promove a secreção biliar, restaura o tempo de trânsito adequado dos intestinos e remove o excesso de água do corpo. O seu teor de berberina é efetivo no tratamento da maioria das infecções gastrointestinais que podem ser a causa da colite.

Raiz de alcaçuz: O alcaçuz foi reconhecido por sua atividade antiinflamatória que pode ajudar em casos de gastrite e colite. Pode inibir a formação de prostaglandinas inflamatórias que promovem a inflamação dos intestinos. O alcaçuz tem efeito diurético e levemente laxante que retira toxinas do corpo. O alcaçuz nesta fórmula é o verdadeiro alcaçuz, que não é usado na maioria dos doces de alcaçuz nos Estados Unidos.

Folhas de papaia: Tanto a fruta papaia como as suas folhas são fontes de papaína que é uma mistura de enzimas que digerem proteínas. Estudos mostram que pode aumentar a digestão do glúten do trigo e inibir a sua resposta inflamatória no cólon de indivíduos celíacos.

Raiz de genciana: A genciana é usada amplamente, particularmente na Europa como digestivo. Aumenta a saliva e acredita-se aumentar a secreção do suco gástrico. Alguns Fitoterapeutas a têm usado para expelir vermes intestinais. Os efeitos antiinflamatórios são úteis para a gastrite e para a colite. É considerado um tônico amargo.

Goma de mirra: A goma de mirra é usada para cuidar a mucosa gástrica do trato intestinal. A goma de mirra é carminativa, reduz os gases e o inchaço e acalma o estômago. É também um laxante leve.

Irish moos: Irish moos é rico em nutrientes minerais. Também contém grande quantidade de mucilagem que acalma o trato-gastrointestinal. É especificamente usado para a dispepsia, náusea, azia e diarréia.

Sementes de Trigonella foenum-graecum: 40% do peso das sementes de Trigonella é de mucilagem. A mucilagem é uma substância que parece uma gelatina, geralmente composta de proteínas e polissacarídeos que trata o revestimento do trato intestinal irritado. A Trigonella também incita a secreção pancreática, que estimula a digestão.

Raiz de gengibre: O gengibre é uma das melhores ervas para o tratamento de distúrbios intestinais. O gengibre previne a náusea, os gases, a flatulência e os vômitos. A raiz de gengibre não é um laxante, mas tonifica o músculo intestinal e fornece enzimas proteolíticas para ajudar a digestão.

Gel de Aloe vera: O gel de Aloe vera é uma substância clara, semelhante à gelatina chamada de mucilagem. A Aloe tem sido empregada no tratamento da colite com sucesso. O gel de Aloe melhora o tempo de trânsito intestinal, reduzindo a putrefação no trato intestinal e aumentam as bactérias úteis como as acidófilas. Se tiver cólica com esta erva, adicione mais gengibre. Esta erva é geralmente usada em combinação e se usada sozinha, pode causar cólicas.

Raiz de Valeriana: Uma ferramenta importante no controle do estresse nos casos de colite. Estas ervas trabalham para acalmar o sistema nervoso central sem causar dependência ou efeitos sedativos artificiais associados às drogas tranqüilizantes.

Nutrientes Secundários:

Óleo de alho ( revestidos entéricos): O alho ajuda a eliminar qualquer patógeno no cólon e também promove a recuperação do tecido. Dose sugerida: Ingerir como recomendado.

Alfafa: Funciona através do teor de clorofila. Dose sugerida: Pode ser ingerida na forma líquida ou em cápsulas.

Suco de repolho, extrato de repolho ou repolho ou em pó: Compostos de repolho tem a capacidade de ajudar na cicatrização das úlceras gastrointestinais. Dose sugerida: Pode ser difícil achar repolho em pó. Centrifugar o repolho pode ser mais prático. Tome ½ copo de suco pelas manhãs e à noite com o estômago vazio.

Lúpulo e raiz de valeriana: Ambos são tranqüilizantes naturais que podem ajudar no estresse e promover o relaxamento.

Ulmeiro escorregadio: Ajuda a controlar a diarréia e acalma as membranas irritadas.

Outras Terapias de Apoio

Acupuntura: O estímulo de certos pontos podem ajudar a promover o relaxamento do músculo intestinal.

Massagem: Os efeitos anti-estresse de uma boa massagem é muito benéfico para pessoas com distúrbios intestinais que são muito ansiosas. Além disso, a massagem ajuda a estimular a circulação e a facilitar a remoção de toxinas do corpo.

Atenção: Qualquer produto citado neste post não é um medicamento e não substitui o tratamento médico. Terapias citadas neste post não substituem a visita ao seu médico regularmente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *