Publicado em

Fígado e seus males

O fígado é sempre o culpado pelos problemas que nossa forma errada de comer e beber nos causa. Ele leva a culpa de todos os exageros que cometemos pela vida afora. A ressaca ou a dificuldade de digestão, o gosto amargo na boca, a sensação de que vai vomitar a qualquer hora (e vomita mesmo) tão comuns quando se come ou bebe demais, em geral, são atribuídas ao mau funcionamento do fígado e não aos excessos praticados. Tenho vontade de dizer à pessoa que reclama do fígado, que o fígado é que deveria reclamar da pessoa.

Talvez esses excessos alimentares explique a existência, no mercado, de uma quantidade enorme de produtos farmacêuticos que explora certas crendices populares a respeito do fígado. Trata-se de drogas que nunca demonstraram os efeitos hepatoprotetores que seus fabricantes apregoam. Na verdade, não há um único medicamento alopata capaz de “proteger” o fígado. Quando ele dá sinais de sofrimento, na maior parte das vezes, já foi seriamente agredido pela repetição de alguns maus hábitos de vida.

Chega na A Loja do Chá de Aracaju cliente apertando o lado esquerdo do corpo e reclamando do fígado, mas o fígado se localiza no lado direito do abdômen, é a maior glândula do organismo. Pesa em torno de um mil e trezentos a um mil e quinhentos gramas no homem e duzentos gramas menos nas mulheres.

O grande problema do fígado é que as patologias hepáticas são silenciosas. Muitos pacientes que nos procuram estão com cirrose sem terem notado sintoma algum da doença. No entanto, ele produz sinais sugestivos. A icterícia, por exemplo. Esse amarelo que tinge os olhos é um sinal importante, que não deve ser confundido com o amarelo isolado da pele, quando se come muita cenoura e mamão, alimentos ricos em caroteno. Importante também é o aparecimento sob a pele de sinais semelhantes a pequenas aranhas formadas pelo cruzamento dos vasos sanguíneos, que recebem o nome sugestivo de spider, e que permitem fechar, com grande margem de segurança, o diagnóstico de cirrose hepática.

Gordura – Um dos inimigos do fígado

As afecções hepáticas jogam a culpa nas comidas gordurosas e também nas questões relacionadas à ingestão de alimentos em excesso, esses argumentos não nos deixam dúvidas de que precisamos ter uma dieta equilibrada, pobre em gorduras se quisermos ter nosso fígado saudável. Estas doenças compreendem a NAFLD (non-alcoholic fatty liver disease), que em português quer dizer doença gordurosa hepática não alcoólica. Esta vai desde uma simples esteatose até uma cirrose em estágio avançado, passando por estágios intermediários de esteato-hepatite e fibrose. A Organização Mundial de Saúde (OMS) acredita que, nos próximos anos, aproximadamente 3 milhões de pessoas irão desenvolver cirrose devido à esteato-hepatite não-alcoólica (NASH, que em inglês significa Non-alcoholic Steato-hepatitis), que é a forma severa da NAFLD. A consequente cirrose da NASH pode evoluir com falência hepática grave, podendo surgir hepatocarcinomas (câncer hepático) durante essa evolução.

Diversos pacientes que possuem doença hepática terminal ou tumor hepático resultante da NASH são candidatos ao transplante de fígado. A NAFLD e a NASH estão em terceiro lugar no ranking de transplante hepático no mundo, perdendo apenas para as hepatites virais e o alcoolismo.

O fígado possui pequenas quantidades de gordura, que são responsáveis por aproximadamente 10% do seu peso total. Quando o acúmulo de gordura passa desse valor, é possível diagnosticar um órgão que está acumulando gordura dentro do seu tecido. O fígado com gordura apresenta uma coloração amarelada. Há muito tempo acreditava-se que isso acontecia apenas devido ao consumo exagerado de bebidas alcoólicas, mas, hoje, sabemos que ela pode ser causada por diversos outros fatores como obesidade, diabetes, colesterol alto, drogas, alimentação e muitos outros.

Uma esteatose leve, de grau um ou dois, normalmente não causa sintomas ou grandes complicações, pois a gordura concentrada é pequena e não ocasiona a inflamação do fígado. Quanto maior for esta quantidade de gordura no órgão, maiores serão as chances de risco de lesão. É importante que todos saibam que a esteatose hepática nada mais é do que um estágio que antecede o desenvolvimento de uma hepatite, no entanto, nem todo paciente com esteatose poderá evoluir para este quadro, mas não é bom arriscar.

Independentemente de você ter algum problema no fígado, com certeza já sentiu aquele desconforto causado pela ingestão excessiva de gordura. Além do mal estar, dores de cabeça e vômitos também são sintomas comuns.

SUA AMIGA A GORDURA INSATURADA

Existente principalmente em vegetais, ela é líquida em temperatura ambiente. Há a monoinsaturada (com apenas uma ligação dupla de carbono) e a poliinsaturada (com mais de uma ligação dupla de carbono)
Onde é encontrada? – Azeite de oliva, óleo de canola e de milho, amêndoa, castanha-do-pará, abacate, semente de linhaça, truta e salmão
Consumo máximo por dia (somando-se o uso em todas as refeições) – 44 gramas numa dieta de 2.000 calorias/dia – 01 ml de azeite equivale a 0,92 gramas (gordura considerada boa). Para ajudar:
1. Colher de chá – em média 4 ml de azeite, 33 calorias, cerca de 4g de gorduras.
2. Colher de sobremesa – em média 7ml de azeite, 58 calorias, 7g de gorduras.
3. Colher de sopa – em média 13ml de azeite, 108 calorias, 12g de gorduras.
O conteúdo líquido total de um frasco de azeite de 500ml, pesa 460g.

Efeitos no corpo das gorduras insaturadas – Ajuda a reduzir o colesterol ruim, o triglicérides (tipo de gordura que, em níveis elevados, pode causar doenças coronarianas) e a pressão arterial além de melhorar sobremaneira o trânsito intestinal. Mas… se forem aquecidas, já não serão tão amigas assim.

Confira uma lista dos alimentos que, quando ingeridos demasiadamente, podem prejudicar o seu fígado:

GORDURA SATURADA é um tipo de gordura encontrado principalmente em produtos de origem animal e que, em temperatura ambiente, apresenta-se em estado sólido (manteiga, banha etc). É encontrada em carnes vermelhas e brancas (principalmente gordura da carne e pele das aves), leite de gado, de cabra, de búfala e derivados integrais (manteiga, creme de leite, iogurte, nata) e azeite de dendê (devido a ser extraído com calor).
Consumo máximo por dia – 20 gramas em dietas de 2.000 calorias/dia.
Efeitos no corpo da gordura saturada – Aumenta o colesterol ruim (LDL), que se deposita nas artérias, elevando o risco de problemas no coração

GORDURA TRANS é um tipo de gordura formada por um processo químico (hidrogenação), no qual óleos vegetais líquidos são transformados em ácido graxo trans, uma gordura sólida
Onde é encontrada? – Margarina, biscoitos, batatas fritas, sorvete e salgadinhos de pacote
Consumo máximo por dia – 2 gramas
Efeitos no corpo – Não faz nada bem à saúde: aumenta o colesterol ruim e, ao mesmo tempo, reduz o bom. Consuma com moderação. Apesar da fama de feias e más, as gorduras são importantes para nosso corpo. Elas são fontes de energia, fornecendo 9 calorias por grama, e têm boas doses de vitaminas e ácidos graxos essenciais, responsáveis por manter as paredes das células funcionando em boas condições. Para saber o tipo e a quantidade de gordura de um alimento, fique de olho na tabela de informação nutricional que vem no rótulo da embalagem. Mas não abuse: na média, nosso consumo diário de gordura não deve ultrapassar 30% da ingestão calórica total.

1 – Carboidrato (derivados da farinha de trigo como: pães, bolos, salgados, salgadinhos, tortas massas etc. Inhame, macaxeira (mandioca)), milho quando em excesso pode ser prejudicial. Mas, isso não significa que pães e massas devam ser abolidos do seu dia a dia. É preciso, apenas, consumi-los com moderação, mas levando em conta que o glúten da farinha de trigo não passa de uma massa gosmenta que se cola nos intestinos dificultando e muito o trabalho intestinal. Melhor ir pensando em consumir mais frutas e verduras cruas (saladas) ou cozidas no vapor as que não puderem ser consumidas cruas.

2 – Alimentos ricos em conservantes (entubados como linguiça, salsicha, presunto, mortadela, salaminho tec.), colorantes (queijos, biscoitos recheados, doces etc.) e adoçantes artificiais (qualquer um, pois o consumo deles possivelmente lhe dará de presente o Mal de Alzheimer e com certeza você não precisa disso. Aprenda a sentir o sabor real de cada alimento e viverá mais e melhor) . Quanto mais industrializado, mais prejudicial pode ser para o seu fígado.
3 – Óleos em excesso. Reduza o consumo de alimentos fritos.
4 – Carnes vermelhas podem representar grande ingestão de gorduras saturada e trans, o que leva o seu fígado a inchar e a dar sinais de problemas!
5 – Álcool. Esta bebida está no topo da lista. Ao invés disso, tente consumir 8 copos de água por dia.

Diagnóstico da esteatose

A esteatose não apresenta sintomas aos pacientes. Dessa forma, o diagnóstico é feito através de exames de imagem como o ultrassom de abdômen total. É bom fazer um check up completo uma vez ao ano para verificar a vitalidade de todos os órgãos.

Vale lembrar que Ultrassonografia de Abdomen Total é um método não invasivo indicado para avaliar, caracterizar e diagnosticar alterações do fígado, rins, pâncreas, bexiga, baço, retroperitônio e também do trato gastrointestinal. É um procedimento que não emite nenhum tipo de radiação e nem apresenta efeitos colaterais aos pacientes. O exame é totalmente indolor, rápido e apresenta resultados muito eficientes e seguros.

A maioria das afecções hepáticas é acompanhada por icterícia. Entre os sinais clínicos exibidos por esses pacientes estão: colúria (urina escura), hipo ou acolia fecal (fezes de coloração clara), prurido (coceira), ascite (conhecida como barriga d’água), sangramentos, alterações na pele, cansaço, entre outros.

Dentre as principais doenças que acometem o fígado encontramos, em primeiro lugar, as hepatites virais, que podem ser classificadas como A, B, C, delta, E, F e G.

Doenças causadas pelo álcool: como a cirrose, doenças hepáticas tóxicas, insuficiência hepática, fibrose, entre outras. Indivíduos do sexo masculino que ingerem mais de 10 cervejas ou mais de meio litro de bebida destilada por semana, depois de 5 a 10 anos podem comprometer o fígado, bem como outros órgãos (pâncreas e estômago). Já mulheres que consomem metade dessas doses, por semana, podem adoecer.

É sabido que de 10 indivíduos alcoólatras, 09 desenvolvem esteatose hepática, sendo que destes 4 irão evoluir para hepatite crônica, enquanto 2 terão cirrose. A situação desses indivíduos é agravada quando os mesmos possuem o vírus da hepatite B, C ou D.

Em quarto lugar de causas de doenças que acometem o fígado, encontramos as doenças hepáticas autoimunes, como é o caso da hepatite autoimune e das doenças genéticas que se manifestam na idade adulta, levando à cirrose ou insuficiência aguda do órgão.

Subsequentemente, encontram-se a hemocromatose, afecção genética resultante do acúmulo de ferro na corrente sanguínea, em consequência de problemas no processamento do mesmo proveniente da dieta. Esta doença leva à cirrose, resistência à insulina, bem como disfunção erétil.

Constituição e funções do fígado: O fígado é constituído por milhões de células, como se fossem milhões de bloquinhos agrupados. Cada célula desempenha uma função específica, essencial para o equilíbrio do organismo. O fígado é um órgão de funções múltiplas e fundamentais para o funcionamento do organismo. Entre elas, destacam-se:

Secretar a bile – A bile é produzida pelo fígado em grande quantidade, de 600 ml a 900 ml por dia, inicialmente ela se concentra na vesícula e depois é enviada para o intestino, onde funciona como detergente e auxilia na dissolução e aproveitamento das gorduras. Por isso, quando os canais da bile entopem, o metabolismo das gorduras fica prejudicado;

Armazenar glicose – A glicose extraída do bolo alimentar é armazenada no fígado sob a forma de glicogênio, que será posto à disposição do organismo conforme seja necessário. Nesse caso, as células hepáticas funcionam como um reservatório de combustível. Quando o cérebro, o músculo do coração, os músculos esqueléticos ou qualquer outra parte do corpo precisam de energia, a glicose é enviada para a circulação. Se não houvesse esse sistema de estocagem, teríamos de comer o tempo todo para garantir o suprimento de energia. Doenças hepáticas em fase avançada provocam a perda dessa capacidade e prejudicam o fornecimento de glicose;

Produzir proteínas nobres – Entre elas, destaca-se a albumina, uma substância muito importante para o organismo, porque mantém a água dentro da circulação. É a propriedade osmótica ou oncótica. Quando a produção de albumina diminui, a água escapa das veias, extravasa para os tecidos que estão debaixo da pele e produz inchaço, ou seja, edemas nas pernas, barriga d’água (ascite), etc. Além dessa, a albumina tem outra função curiosa. Serve de meio de transporte, na corrente sanguínea, para outras substâncias, como hormônios, pigmentos e drogas. É importante, ainda, mencionar as proteínas ligadas ao processo de coagulação do sangue. Se o fígado não está trabalhando bem, o nível dessas substâncias baixa e aumenta a probabilidade de sangramentos abundantes, que podem ser provocados por ferimentos ou ocorrer espontaneamente pelo nariz (epistaxe), pelas gengivas, pela urina ou em menstruações exageradas;

Desintoxicar o organismo – O fígado tem a capacidade de transformar hormônios ou drogas em substâncias não ativas para que o organismo possa excretá-los;

Sintetizar o colesterol – No fígado, o colesterol é metabolizado e excretado pela bile;

Filtrar micro-organismos – Há uma extensa rede de defesa imunológica no fígado. Além das células hepáticas, existem inúmeros “bloquinhos” responsáveis por segurar bactérias ou outros micro-organismos que transmitem infecções. Algumas doenças hepáticas, a cirrose, por exemplo, interferem nesse processo e tornam os indivíduos mais vulneráveis a infecções;

Transformar amônia em ureia – O fígado é um órgão privilegiado. Tem uma artéria e uma veia de entrada e uma veia de saída. A veia de entrada recebe o nome curioso de “veia porta” e é responsável por 75% do sangue que chega ao fígado, levando consigo substâncias importantes, como as vitaminas e as proteínas. No entanto, por ela chega também a amônia produzida no intestino e derivada especialmente de proteínas animais para ser transformada em ureia. Se o órgão estiver lesado, a amônia passará direto para a circulação e alcançará o cérebro, provocando, no início, alterações neuropsíquicas (mudanças de comportamento, esquecimento, insônia, sonolência) e, depois, pré-coma ou coma.

Curiosidades

1 – Pelo fígado passam um litro e duzentos ou um litro e meio de sangue por minuto. Esse sangue sai pelas veias supra-hepáticas e vai para o coração. Se o coração, que é nossa bomba, estiver com problemas, o sangue será retido no fígado que aumentará de tamanho. Os sintomas que surgem, então, aparentemente ligados à insuficiência hepática, referem-se aos problemas cardíacos instalados.

2 – Se retirarmos metade do fígado, em poucos meses, ele voltará ao tamanho normal. Isso é extremamente importante, porque justifica os transplantes intervivos (doador e receptor vivos) feitos atualmente. O pai ou a mãe podem doar parte de seu fígado para o filho contando com o crescimento posterior desse órgão no doador e no receptor. Essa capacidade regenerativa pode ser comprometida por certas doenças. Na cirrose, por exemplo, algumas células morrem, enquanto outras, que se mantêm vivas, regeneram-se e tentam compensar as perdas sofridas. Infelizmente, essa regeneração é bloqueada pelas cicatrizes fibrosas que se formaram no fígado, tornando-o menor e mais rígido. Nessa tentativa frustrada de recuperação, as células formam nódulos que devem ser observados constantemente.

3 – Se o fígado ficar rígido devido à cirrose ele fica como uma malha grossa o que dificulta a penetração e a circulação do sangue. Como consequência, ocorre a hipertensão portal, isto é, aumenta a pressão na veia porta. Esse aumento de pressão se reflete nas veias do estômago e do esôfago, produzindo varizes internas que podem sangrar no futuro. O baço, localizado à esquerda do abdome, também se altera. Uma de suas funções é destruir glóbulos vermelhos, brancos e plaquetas. Se a hipertensão portal provocar o crescimento do baço, seu funcionamento se intensificará e serão destruídas mais células do que seria desejável. Por isso, não é raro encontrarmos pacientes cujo exame de sangue revela um número baixo de plaquetas, indicativo de cirrose hepática absolutamente assintomática.

4 – Se você pensa que maltratando seu fígado apenas ele sofre, está totalmente enganado, pois o fígado quando fica rígido se torna como uma malha grossa o que dificulta a penetração e a circulação do sangue. Como consequência, ocorre a hipertensão portal, isto é, aumenta a pressão na veia porta. Esse aumento de pressão se reflete nas veias do estômago e do esôfago, produzindo varizes internas que podem sangrar no futuro. O baço, localizado à esquerda do abdome, também se altera. Uma de suas funções é destruir glóbulos vermelhos, brancos e plaquetas. Se a hipertensão portal provocar o crescimento do baço, seu funcionamento se intensificará e serão destruídas mais células do que seria desejável. Por isso, não é raro encontrarmos pacientes cujo exame de sangue revela um número baixo de plaquetas, indicativo de cirrose hepática absolutamente assintomática, quando o individuo vai saber a doença já está adiantada.

E quanto à prevenção? O que se pode fazer?
Estaremos ajudando muito, se não prejudicarmos a atividade do fígado com drogas, bebidas alcoólicas e evitando adquirir alguns vírus que possam minar sua resistência.

O que pode ajudar a curar o fígado

• Invista nas fibras! A aveia, o farelo de trigo, as massas integrais, as frutas e as verduras são exemplos de fontes dessas substâncias que se revelam grandes aliadas de um fígado em forma.
• Aposte nas gorduras do bem, como os ácidos graxos monoinsaturados e polinsaturados.
• Conte com os antioxidantes, como os vegetais, pois são os principais reservatórios das substâncias que enfrentam os radicais livres, moléculas que podem prejudicar o corpo e, principalmente, o fígado.

Mas graças a nosso bom e eterno Deus, que é realmente nosso Pai e perdoa as tolices que fazemos, existem produtos naturais que são muito eficientes para proteger e curar o fígado maltratado. Veja com cuidado a relação abaixo e guarde-a com carinho. Quem sabe um dia fará uma tolice maior e seu fígado vai finalmente gritar.

Floral Essencial Figadil: Elaborado com ervas especialmente indicadas para afecções como esteatose hepática, e entre elas o arrozinho do brejo.
Chá Composto Figadil: Elaborado com ervas especialmente indicadas para afecções como esteatose hepática, e entre elas alcachofra, equinácea etc.

Floral Essencial Cirrop: Elaborado com ervas especialmente indicadas para afecções graves do fígado como a cirrose, e entre as ervas o arrozinho do brejo e o pega pinto.
Chá Composto Cirrop: Elaborado com ervas especialmente indicadas para afecções graves do fígado como a cirrose, e entre as ervas o arrozinho do brejo e o pega pinto.

Floral Essencial Fignod: Elaborado com ervas especialmente indicadas para afecções graves como nódulos no fígado, e entre as ervas mil homens e a carqueja.
Chá Composto Fignod: Elaborado com ervas especialmente indicadas para afecções graves como nódulos no fígado, e entre as ervas mil homens e a carqueja.

Lembre-se, para um tratamento eficaz deve-se levar em conta o tempo que sofre com a patologia, se a doença é recente deve fazer um tratamento de 03 meses ou de 06 meses para os casos mais antigos.

Para um tratamento de 03 meses usa-se 07 unidades e para 06 meses 13 unidades. No primeiro mês usará 30 gotas em 200 ml de água às 07 – 14 e 21 horas e a partir do 2º mês apenas 02 X dia as 30 gotas em 200 ml de água, às 07 e às 21 horas até que a cura seja evidente.

Nosodioterapia para toda e qualquer afecção do fígado: Tratamento de 01 ano.

Constitucional de Bach Nº 07 (por exemplo, este é para adultos acima de 65 anos ou de crianças até 12 anos) o seu será determinado através de sua idade, peso e altura, enviar dados para [email protected]

Nosódio Fígado: É utilizado nos casos de cirrose, hepatite, hemangioma, gorduras hepáticas, cistos hepáticos e demais doenças do fígado.

Hepato Nosódio – Drenador: É utilizado para drenar sintomas de doenças do fígado e vesícula (cálculo na vesícula, hepatite, cirrose, ascite, etc.)

Leia o post denominado Nosodioterapia, um caminho para a cura ou Nosodioterapia – atendimento gratuito

Como vocês podem ver, há tratamentos para os males do fígado, mas bom mesmo é procurar deixar que ele faça o trabalho que tem a fazer em paz. E isso ele só consegue se vocês derem mais valor à saúde do que ao comer e beber de forma exagerada.

Atenção: Qualquer produto citado neste post não é um medicamento e não substitui o tratamento médico. Terapias citadas neste post não substituem a visita ao seu médico regularmente.

2 comentários sobre “Fígado e seus males

  1. eu tenho gastrite, e agora no ezame do abdomem total deu figado imflamado, que frutas e comida posso comer

    1. Olá Leonilda, sugiro que procure um trofoterapeuta, terapeuta especializado na cura pelos alimentos. O que posso sugerir é o uso do Leite de Mangabeira contra a gastrite e o Kit para Fígado para lutar contra a inflamação no fígado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *