Publicado em

Espante a má digestão selecionando bem sua dieta

Mudar os hábitos é mais eficiente e saudável do que apelar a remédios. Com certeza! Alguns minutinhos depois das refeições são suficientes para você começar a sentir o mal-estar causado pela má digestão. O incômodo é tanto que você até riscaria o causador da azia do prato, mesmo se ele fizesse parte do seu time de delícias preferidas. Basta, no entanto, descobrir quem é o vilão. Ou seriam os vilões?

A verdade é que boa parte da culpa da má digestão vem dos alimentos, sim. Mas não só deles. Hábitos alimentares e problemas estomacais são outros fatores que estão na lista das causas. Quem faz o alerta é a gastroenterologista da Unifesp, Luciana Lobato. De acordo com a especialista, as razões da má digestão podem ser divididas em quatro grupos:

1 – alimentos que você come,
2 – a maneira como você os consome,
3 – a quantidade de líquidos ingerida durante as garfadas
4 – e doenças associadas ao aparelho digestivo.

Os incômodos característicos da má digestão, inclusive, variam conforme essas causas. Quem consome um volume exagerado de comida sente o desconforto logo após a refeição. Já pacientes com algum distúrbio no estômago costumam demorar um pouco mais para sentir o mal-estar, diferencia a especialista, ressaltando que os sintomas são bem variáveis.

O certo é: Evitar o desconforto sem recorrer aos remédios

Para fugir do inconveniente, portanto, você precisa atentar aos seus hábitos alimentares. O primeiro passo é avaliar a qualidade dos alimentos escolhidos. Se os alimentos muito gordurosos rechearem seus pratos freqüentemente, você vai sentir as reclamações do seu estômago com mais freqüência também.

As gorduras são os nutrientes com maior dificuldade de digestão. De maneira geral, alimentos ricos em carboidratos, como arroz, massas, pães, frutas e legumes, são digeridos mais facilmente. Em seguida, estão as proteínas, encontradas nas carnes, leite e leguminosas.

Óleos, creme de leite e manteiga são exemplos de alimentos gordurosos e de difícil digestão, cuidado com os strogonoffs da vida. Além de evitar as frituras, as carnes gordas também devem ser restringidas das refeições de quem quer passar longe da má digestão.

Outra arma contra a azia é encontrada nos pratos. Ao lançar mão do cardápio certo, é fácil driblar a sensação de "empanturramento" e até mesmo dar uma forcinha para o estômago. Uma alimentação rica em frutas, legumes, cereais e carnes magras dificilmente traz transtornos estomacais ao consumidor. Sem esquecer, claro, que o volume das refeições deve ser controlado.

Um time de chás também pode te ajudar a combater a má digestão e entre eles o chá verde, de alecrim e de hortelã são eficazes por ativarem as enzimas digestivas. O ideal é que uma xícara seja tomada imediatamente após a refeição e sem adoçar com açúcar ou adoçante artificial.

O abacaxi, com sua enzima natural chamada bromelina, se destaca na digestão das proteínas, principalmente das carnes. A papaína, nutriente encontrado no mamão, é mais um colaborador na digestão das proteínas. Uma fatia das frutas como sobremesa é suficiente para notar suas ações, mas cuidado, frutas também aumentam as calorias da refeição, o melhor mesmo é ficar com o chazinho.

Não use bebidas com comidas. As bebidas fazem com que o estômago inche. Isso acontece mais notoriamente quando os líquidos escolhidos são gasosos. Pense que seu estômago tem que suportar o peso do prato mais a quantidade de líquido. Os excessos distendem o órgão, causando o desconforto. Além disso, os líquidos diluem as enzimas participantes do processo digestivo.

Repare no caminho das garfadas

Ao falar dos maus hábitos que levam à digestão conturbada, é fundamental mastigar bem os alimentos. A digestão começa na mastigação, já que algumas enzimas atuam ainda na boca. Pular essa parte é um empecilho para uma quebra satisfatória dos alimentos.

Aconselho ainda a não ter pressa para fazer suas refeições, aprenda a comer devagar. Consumir os alimentos no tempo certo evita que você engula muito ar. Assim como os líquidos, o ar faz com que o estômago inche, causando uma série de desconforto. Procurar ambientes tranqüilos na hora de se alimentar é mais uma boa dica, pois algumas pesquisas mostram que o estresse interfere no funcionamento gástrico.

Quando o incômodo é muito recorrente, se mesmo corrigindo tais hábitos, as dores de estômago não deixarem de aparecer, pode ser sinal de que algo está errado. Quando os remédios para azia também não fazem mais efeito, é sinal de alerta. Outros sintomas alarmantes são perda de peso, eliminação de sangue ao evacuar e anemia. Eles podem indicar algum tipo de doença.

Após os 40 anos, a atenção sobre os sintomas da má digestão precisa ser redobrada. Isso porque a incidência de câncer aumenta com o passar da idade.
Lembrem-se: Pequenos hábitos ajudam a acabar com o estômago pesado e uma boa digestão é fundamental para acabar com a gordura acumulada e com o mal-estar.

NOTA: Para quem não gosta de tomar chá, a solução perfeita é utilizar o Enzifruit e o Compodigegest da Tendência Natural de acordo com a indicação dos rótulos. Se quiser saber mais sobre eles basta digitar seus nomes na busca deste site.

Atenção: Qualquer produto citado neste post não é um medicamento e não substitui o tratamento médico. Terapias citadas neste post não substituem a visita ao seu médico regularmente.

Deixe um comentário ou resposta...