Publicado em

Digestão: Quer que ela seja fácil ou difícil?

Para viver, crescer e manter o nosso organismo, precisamos consumir alimentos. E a entrada natural de alimentos em nosso organismo é pela boca e onde se forma primeira parte do processo digestivo é onde acontece a digestão química dos carboidratos, onde o amido é decomposto em moléculas de glicose e maltose pela saliva.

A saliva contem 99% de água e mucina, que dá à saliva sua viscosidade. É constituída também pela ptialina ou amilase, que é uma enzima que inicia o processo da digestão do glicogênio.

Trocando em miúdos: Você precisa aprender a comer, mas comer bem, escolhendo os alimentos que seu organismo precisa. Alimentar-se não é empanturrar-se de qualquer coisa mastigável e “engolível”. A alimentação deve ser elaborada para nutrir da melhor forma o ser humano. Ter as quantidades necessárias de carboidratos, proteínas, vitaminas e sais minerais que irão repor os estoques e providenciar saúde, sem ficar se acumulando e criando culotes, barrigas de exagerados bumbuns.

No estômago, órgão mais musculoso do canal alimentar, continua as contrações, misturando aos alimentos uma solução denominada suco gástrico, realizando a digestão dos alimentos proteicos. O suco gástrico é um líquido claro, transparente e bastante ácido produzido pelo estômago para a perfeita digestão dos alimentos, desde que não seja diluído belo hábito terrível de beber líquidos frios durante as refeições.

Tudo isso ocorre de forma controlada, cada um fazendo a tarefa para a qual foi determinado.

Mas o que é que faz com que a digestão seja perturbada e acabe por danificar nosso estômago e o esôfago?

As más escolhas que o homem faz, sua incapacidade de escolher bem os alimentos de acordo com suas necessidades, seu biótipo orgânico, seu tipo sanguíneo etc., o fazem adoecer. E a péssima mastigação faz os seus estragos também.

Como corrigir a digestão difícil?

Fáci, fácil. Tome um chá digestivo bem quente logo após a última garfada no almoço e no jantar. Modo de Preparar: 01 colher de chá da erva triturada em 200 ml de água fervente. Tampar. Desligar o fogo e deixar junto do prato. Assim que terminar sua refeição tome o chá. Ele limpará todo o conduto digestivo, facilitará a digestão e ainda ajudará a emagrecer de forma natural. Escolha entre os chás abaixo, mas lembre-se de variar para que o organismo não se acostume.

Chás digestivos:

Digestil – Chá Composto: Seleção de chás especialmente selecionados.

Propriedades: Indicados para promover uma boa digestibilidade dos alimentos.

Chá de Hortelã Miúda: Selecionada, secada à sombra e triturada. Excelente para a digestão e halitose.

Propriedades: Graças a seu princípio ativo, o mentol, a infusão acelera a digestão e age como analgésico em qualquer dor na barriga.

*Alfavaca Ocimun selloii

Propriedades: Seu chá atua basicamente no estômago. Elimina gases, além de prevenir gastrite e vômitos.

Sálvia Esclarea

Propriedades: Ela estimula a produção de enzimas que participam da digestão, especialmente no estômago. Gestantes, porém, devem evitá-la.

Alecrim do reino

Propriedades: As substâncias dessa planta protegem a parede do estômago e aceleram a digestão. Além disso, cortam dores de cabeça provocadas por refeições que simplesmente caíram mal. Gestantes devem passar longe.

Chá verde – Chá vermelho e Banchá (Camellia sinensis)

Propriedades: Os princípios ativos do chá verde favorecem a digestão, estimulando as secreções gástricas. Já o Banchá, além de fazer isso, regula o pH do estômago. O Chá Vermelho é conhecido como o devorador de gorduras.

Camomila Matricaria chamomilla

Propriedades: Regulariza a função digestiva, diminui dores no estômago e cólicas intestinais. Como tem ação antiinflamatória, é capaz de ajudar na prevenção de gastrites e úlceras.

Gengibre Zingiber officinalis

Propriedades: Estimula a produção de enzimas responsáveis por quebrar as proteínas, principalmente.

* Chás populares, como os de alfavaca e o de boldo, podem causar aborto. Dessa forma, as gestantes devem evitar, por segurança, qualquer chá medicinal para resolver problemas digestivos.

Se o sistema digestório não funcionar bem todos os outros órgãos também não funcionarão, podendo desenvolver algumas doenças. Todo mundo já passou pelo desconforto de sentir mal-estar depois da refeição e, na maioria das vezes, isso se dava por causa da ingestão de alimentos de difícil digestão. A má digestão é um incômodo que faz com que muitas pessoas até percam o prazer depois de um almoço em família!

Mas o que causa a má digestão, afinal?

Falta de informação, displicência e preguiça.

Como corrigir os problemas digestivos?

Mude seus hábitos alimentares. Esse é o primeiro passo. Não adianta querer evitar a má digestão e continuar tendo a mesma rotina diante da mesa. Evitar tomar refrigerantes enquanto se alimenta e escolher bem os alimentos é uma das atitudes que você deve ter. Mas outras medidas são aconselhadas pelos nutricionistas para evitar os desconfortos após as refeições, como por exemplo, carnes gordas e frituras devem ser consumidas com moderação, pois são ricas em gorduras e proteínas. Já os carboidratos são digeridos mais facilmente. São eles: arroz, massas, pães, frutas e legumes.

Outra arma muito eficaz nesses casos é manter uma alimentação rica em frutas, verduras e legumes, além de beber muito líquido longe do início e do final das refeições, lembre-se de que após as refeições só pode beber chá quente. O volume das refeições também deve ser controlado para evitar sensações de empanturramento.

Quais são os alimentos que ajudam na digestão?

Algumas frutas são bem conhecidas por facilitar a digestão e evitar desconfortos após as refeições. Isso porque elas possuem muitas fibras. O abacaxi é uma dessas frutas. Ele possui bromelina, que é uma proteína que facilita a digestão das proteínas, em especial das carnes. O mamão também é indicado contra a má digestão, pois a papaína também é um forte aliado na digestão das proteínas. Portanto, após as refeições, vale incluir essas frutas e garantir uma digestão mais tranquila.

Os vegetais e as verduras também são facilmente digeridos, e no caso dos vegetais, prefira os bem cozidos. Abaixo veja uma lista de alimentos de fácil digestão e monte sua dieta baseada neles, sempre se lembrando de seguir a pirâmide alimentar e não exagerar.

Grãos integrais – Arroz cozido – Cenoura – Couve – Batata – Banana – Maç㠖 Peixe – Frango sem pele – Aveia – Sucos naturais de frutas.

Além dos alimentos citados, recomendam também alguns chás como os acima citados, eles ativam as enzimas digestivas e devem ser tomados imediatamente após as refeições. Mas se você não suporta tomar chá, ainda lhe resta o recurso de tomar:

Floral Essencial Enzifruit: 30 gotas em 200 ml de água 01 hora antes das principais refeições.

Quais os tipos de doenças do aparelho digestório que poderiam ocorrer?

Faringite – Azia –Gastrite – Refluxo esofágico – Úlceras Pépticas – Infecções Intestinais – Prisão de Ventre – Gases Intestinais – Constipação – Diarreia – Câncer de colo intestinal – Hemorroidas. Só para citar algumas, pois são em número muito maior. Veja que elas são decorrentes de falta de fibra na alimentação, má mastigação, alimentos indevidos e todos provocam dores e desconforto.

Como tratar do nosso aparelho digestório?

Alimentando-nos adequadamente com alimentos de fácil digestão, como frutas, legumes, grãos, peixe, etc., que podem ser facilmente digeridos.

Para permanecermos vivos e renovar continuamente as células, desenvolver o nosso corpo e manter as atividades vitais, necessitamos de alimentos, pois são eles que fornecem energia para o nosso corpo.

As enzimas digestoras

O nosso corpo produz vários tipos de enzimas digestoras. Cada tipo de enzima é capaz de digerir somente determinada espécie de molécula presente nos alimentos. Assim, as amilases são as enzimas que atuam somente sobre o amido; as proteases agem sobre as proteínas; as lípases sobre os lipídios, e assim por diante.

Há substâncias que nenhuma enzima humana é capaz de digerir. Uma delas é a celulose, que participa da formação da parede das células vegetais. Como a celulose é uma molécula grande demais para ser absorvida e não é digerida, ela é eliminada com as fezes.

Atenção: Qualquer produto citado neste post não é um medicamento e não substitui o tratamento médico. Terapias citadas neste post não substituem a visita ao seu médico regularmente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *