Publicado em

Dicas de Tudo: Chulé e pé de atleta, como tratar?

O chulé e o pé de atleta são duas coisas diferentes mas que tem, além da localização, causas iguais. O chulé é o odor intenso e desagradável dos pés, que ocorre principalmente no verão, quando é maior a produção de suor dos pés, agravado pelo uso de sapatos mal ventilados, principalmente em dias de calor.

Já o pé de atleta é a lesão cutânea que acontece entre os dedos dos pés quando a pele é infectada por bactérias, onde além do mau cheiro, encontramos lesões da pele.

O uso de sapatos com solados sintéticos ou de borracha podem aumentar a produção de suor por esquentarem mais os pés do que os solados de couro ou vegetais. Os solados, constantemente flexionados, ao correr ou caminhar, geram calor. Se aliado a isto a pessoa usar meias pouco transpirantes como são as de fios sintéticos, mais os fungos e as bactérias adquiridas, principalmente em banheiros públicos, cria-se um meio ótimo para o desenvolvimento do pé de atleta e ao chulé.

O chulé é o mau odor dos pés e pé de atleta são as lesões cutâneas que se desenvolvem entre os dedos dos pés, provocados pela umidade do suor ou da umidade do solo, mais a ação de fungos e bactérias. Quem andar descalço, por longas horas em águas paradas ou não, por manter os pés molhados, mesmo não usando sapatos, também pode ser acometido da maceração de pele dos pés, podendo ainda ser acometido de pé de atleta.

Para o tratamento do chulé e do pé de atleta recomenda-se, tanto no inverno como no verão, lavar os pés diariamente, usar sapatos bem ventilados, evitar o uso de meias de fios sintéticos e usar um talco ou pó secante afim de diminuir a umidade dos pés.

Se existirem maus cheiros recomenda-se ainda usar um medicamento tópico contra os fungos e bactérias. Existe no mercado sergipano um talco que tem por base o óxido de zinco, denominado Barla, que é excelente para cuidar destes casos.

Afim de evitar a maceração da pele entre os dedos dos pés pelo umidade, recomenda-se colocar pequenas porções de algodão entre estes dedos afim de evitar o contato de pele com pele.

Este pequenos rolos de algodão vão permitir uma melhor evaporação do suor mantendo a pele seca e mais resistente à agressão de agentes infeciosos e produtores de maus odores. Pode-se ainda recomendar secar bem os pés, principalmente entre os seus dedos usando após o banho o ar quente de um secador de cabelos.

É recomendado que, ao se usarem banheiros públicos, como de clubes ou hotéis, que se coloquem sandálias de madeira ou de borracha nos pés, procurando evitar o contado com o assoalho destes banheiros onde se encontram fungos e bactérias infectantes.

Quem tem mau odor nas axilas deve fazer uma higienização com vinagre de vinho tinto pelo menos 3 vezes na semana, passando-o puro nas axilas e pode incluir também as partes íntimas. E outro procedimento muito bom é usar talco à base de óxido de zinco nas regiões afetadas. Estes procedimentos eliminarão as bactérias que causam o mau odor. Suar é preciso, gerar mau odor não.

Atenção: Qualquer produto citado neste post não é um medicamento e não substitui o tratamento médico. Terapias citadas neste post não substituem a visita ao seu médico regularmente.

Deixe um comentário ou resposta...