Publicado em

Cachorro: Quer um no Natal… E agora?

Quem nunca sonhou em ganhar um filhote de cachorro no natal? Sem dúvida este é o sonho de muitas crianças, e adultos também. No entanto vale lembrar que estamos falando de um ser vivo e não um brinquedo e por isso devemos planejar muito bem a chegada desse novo membro da família.

Muitos pais sonham com a oportunidade de surpreender seus filhos com um filhote de cão ou gato, e isso é sem dúvida muito bom, como afirma a Dra. Letícia Fanucchi, veterinária dedicada ao estudo do comportamento animal e do elo homem-animal "a criança que cresce na companhia de um animal de estimação desenvolve responsabilidade, amor ao próximo, solidariedade e é uma criança emocionalmente mais estável", mas para melhor aproveitar esse momento, é importante estar preparado e saber quando é o momento certo de incluir um animal na família. O ideal é esperar até que a criança alcance 4 a 6 anos de idade, que é a fase mental de desenvolvimento da empatia, nesta idade a criança consegue compreender que um animal deve ser cuidado com cuidado, amor e carinho. Mesmo assim os pais precisam estar atentos, especialmente quando se trata de meninos com até 9 anos de idade, que são as vítimas mais comuns de mordidas de cães.

A escolha do cão ideal depende de vários fatores. Um deles é a genética dos seus ancestrais. Uma boa genética requer um bom planejamento. Um animal com má genética pode apresentar um risco para sua criança. Geralmente animais com boa genética são encontrados em criadores que escolhem com muita cautela seus clientes, eles geralmente visitam suas casas e observam seus filhos lidarem com os filhotes, essa experiência é muito importante e deve ser exercitada não somente para tentar antecipar sérios problemas mas também para avaliar qual a raça de cão mais compatível com o estilo de vida da família assim como o espaço disponível e nível de atividade esperado. Sendo assim, esteja preparado para esperar pelo filhote ideal e sempre suspeite de criadores que possuem muitos filhotes para o natal. Criadores responsáveis se preocupam em acomodar seus animais em novas famílias ao invés de vendê-los como mercadorias.

Independente da raça e porte do filhote, é importante lembrar que eles em geral precisam dos mesmos cuidados e dedicação. A família precisa estar disposta a aprender como cuidar do animal, participar de aulas de instrução geral e visitar um veterinário regularmente para exames preventivos e para adquirir maior conhecimento sobre doenças e cuidados de saúde. Uma outra opção que pode prevenir muito problemas é adotar um cão adulto estável e que tenha convivido com crianças durante uma fase de sua vida. Não é muito difícil encontrar um cão adulto que precise de uma casa nova, eles geralmente são treinados e castrados. O fato de serem castrados reduzem estatisticamente os riscos de causarem problemas com crianças e o fato de serem treinados pode facilitar a vida de famílias mais jovens.

Incluir um animal na família é uma decisão muito importante. O animal certo na hora certa pode adicionar muito à vida de uma criança. Memórias felizes de um convívio com animais fazem muita diferença na vida de uma pessoa. A falta de planejamento e de informação podem no entanto tornar essa experiência desastrosa.* Este Texto faz Parte da Coletânea do Dr. Luiz Bolfer e todos os textos das páginas da PetLine foram publicados em Colunas, Saúde Animal por Dr. Luiz Bolfer.
Dr. Luiz Bolfer formou-se em Medicina Veterinária no Brasil e mudou-se para os Estados Unidos para se especializar em Cardiologia, Emergência e Cuidados Intensivos em cães e gatos. Completou 12 meses de Internato em Clínica Médica e Cirúrgica Veterinária na Universidade de Illinois. Atualmente é Residente em Emergência e Cuidados Intensivos no Centro Médico Veterinário da Universidade da Flórida em Gainesville.

Atenção: Qualquer produto citado neste post não é um medicamento e não substitui o tratamento médico. Terapias citadas neste post não substituem a visita ao seu médico regularmente.

Deixe um comentário ou resposta...