Publicado em

Bem de Manhã…

Mal o sol começa a se espreguiçar, Giselle sai, levando Shasta, uma mistura de pastor com rott walier. Leva o cachorro, ou como diz o "cadelão" para passear. Segue o mesmo caminho, invariavelmente, e mal o inicia começa a orar. Não tenho certeza se aquele é o caminho do cão, do passeio ou da oração. Ali se misturam seus longos papos com o Criador, e os gritos que precisa dar com o cachorro, que corre, pula, late e tenta pegar tudo que é bicho que encontra.

Ela continua calmamente em sua busca pelos efeitos curativos do sol, sol sergipano, sol quente de queima mundo que a aquece e revigora em sua caminhada de quase trinta minutos. Deus é pai, e entende que o assunto de Giselle continua o mesmo entre um grito e outro.

Mas o que tanto Giselle fala com Deus, naquele campo deserto lá nos lados da Atalaia? Ora, são suas impressões, seus sonhos, seus desejos, seus encantos e desencantos. Hoje mesmo o assunto começou como sempre:

– Bom dia Senhor! Olha só, o sol ainda não se levantou de todo e aqui estamos nós. Eu, o Senhor e o cachorro. Veja só como ele corre, que felicidade a dele em sair e correr livremente por este campo!

– …

– Pois é, como eu seria feliz se fosse igual a ele, Senhor! Se pudesse ter esta alegria tão intensa em correr, saltar e pular!

– …

– É mesmo Senhor, não estou brincando não! Ele é assim porque não tem problemas. Eu é que fico com todos os problemas que estavam destinados a ele. É assim, com certeza esta Tua filha seria imensamente feliz se não fossem os problemas! Todo dia venho aqui para conversar com o Senhor e todo dia sinto seus conselhos brotando dentro de mim… Shasta! Pare, Shasta! Aqui! Venha! Se não fosse este contato diário com o Senhor eu só viveria em desespero, como vivia anteriormente, lembra-se?

– …

– É isso mesmo, o Senhor está certo! Existem milhares de pessoas que se dariam por muito abençoadas se estivessem em meu lugar!

– …

– Sei disso Senhor, tenho saúde, uma casinha que está quase caindo aos pedaços, mas que é minha. O meu pão está lá em casa, garantido, e com direito a margarina e algumas coisas mais, mas será que é só isso de que preciso?

– …

– Não, Senhor! Não estou sendo ingrata, de forma alguma! Sou grata por todas as bênçãos, que o Senhor tem me dado, e olhe que têm sido muitas!

– …

– É só uma benção que o Senhor quer que eu conte? Pois lá vai: Sou grata por este sol que está aquecendo e melhorando meus ossos já velhos, sou grata por ser saudável e poder andar com meu cachorro… Que por sinal lá vai… Shasta! Pare, Shasta! Aqui! Aqui!… Lá vai ele Senhor, olha só como corre, que aspecto saudável tem este nosso cachorro não é?

– …

– Pois é, como está bonito. Perguntaram por que trago este cabo de vassoura nestes passeios.

– …

– Já imaginou? Se Shasta se despenca em cima de mim novamente? Será um caos! Certamente irá me jogar no chão outra vez. O Senhor lembra da última?

– …

– Pois é, ainda sinto dor na perna! Quase quebrou… Shasta! Shasta! Aqui! Bonito Shasta, bonito! Estou limpa, estou limpa Shasta! Sabe Senhor, mas o que realmente maltrata o ser humano é a faculdade de pensar.

– …

– É sim, a faculdade de raciocinar é que traz toda a infelicidade para esta racinha difícil de contentar.

– …

– Vou explicar melhor, veja só, se eu não tivesse meus filhos, será que precisaria estar sempre pedinchando algo ao Senhor? Será que precisaria de mais dinheiro para poder viver em paz?

– …

– Sei que somos descontentes por natureza, mas isso é devido ao nosso poder de pensar a respeito de tudo. Shasta! Venha garoto! Aqui! Aqui! Se não pensássemos Senhor, não veríamos nossas necessidades futuras, nem sentiríamos falta de bens que não são de primeiríssima necessidade.

– …

– É sim, é o pensamento que atrapalha o mundo. Se eu não pensasse, como iria me amargurar pelo desemprego de meus filhos, pelo futuro de um, pelo presente do outro?

– …

– Natural? Ah! Senhor, natural para mim seria ter dinheiro suficiente para encaminhá-los nesta vida! Poder dar um pedaço a cada um para iniciar um negócio qualquer, que fosse suficiente para ganharem o pão.

– …

– Mas é do pão deles que estou falando, sei que o meu está garantido, pelo menos enquanto o fantasma do desemprego ficar bem longe de meu marido!

– …

– Não meu Senhor amado! Não estou sendo ingrata novamente não, de forma alguma! Sou é muito grata por nunca ter sentido as agruras da fome, da sede, da desesperança.

– …

– Não Senhor, quando digo que o pensar é que é o problema, estou me referindo a pensar em como resolver os problemas dos outros, mesmo que estes outros sejam nossos filhos. E também em viver pensando em coisas que achamos que nos fazem falta e que teimamos em adquirir.

– …

– Mas é que às vezes a vida da gente parece um campo onde o fogo passou arrasando tudo…

– …

– Vou explicar, Senhor. Veja bem, quando o fogo passa sobre um campo, como este aqui, fica tudo arrasado. Só o que se vê é a terra queimada e tufos de capim, antes viçosos, agora transformados em farpas queimadas e aguçadíssimas.

– …

– Ah! Senhor, eu ainda não tinha pensado nisso desta forma… Realmente logo depois que o fogo passa, as cinzas que deixa em seu rastro destruidor, serão a base para o impulso da nova vida, que brotará rapidamente. Realmente Senhor, logo após uma queimada, nasce uma grama verdejante e os arbustos do lugar se renovam.

– …

– Sim entendi. A vida da gente não foge à regra, não é meu Deus? Quando tudo parece arrasado, é porque o Senhor já está plantando sementes melhores em nosso caminho. Obrigado por ter dito isso para mim. Nunca tinha pensado assim!

– …

– Ah! Senhor, está bem me rendo, pensar em coisas boas é uma benção também. Pensar com egoísmo, pensar em coisas ruins, pensar e fazer maldades é que é o mal da humanidade. Com certeza! Procurarei olhar as coisas por uma ótica diferente…

– …

– É mesmo, recebo uma nova lição a cada dia. Mas voltando ao início do nosso assunto, tenho que pedir que o Senhor cubra de bênçãos os meus filhos. Ajude a encaminhar o mais novo, abra os olhos do mais velho, aumente a sabedoria do filho do meio. O Senhor conhece todas as deficiências de cada um deles. Meu Senhor melhore a natureza deles e de quebra, melhore a minha também.

– …

– Sei que o Senhor vem me melhorando, mas gostaria de melhorar a ponto do Senhor ter prazer em colocar seus olhos em mim. Não fico contente com os erros que cometo, Senhor. Mas como já dizia o Apóstolo São Paulo: "O bem que quero fazer, não faço, mas o mal que abomino, esse sim o pratico".

– …

– É Senhor sei de cor! De tanto ler sua palavra, acaba-se decorando. Senhor, nosso passeio está quase terminando e ainda não pedi ao Senhor pelos desejos do meu coração. O Senhor os conhece bem, mas preciso que o Senhor os torne também os desejos do seu coração.

– …

– Pois é, se o Senhor tiver vontade de fazer seus os meus desejos do coração, todos eles, os materiais, matrimoniais, familiares, emocionais, intelectuais, inclusive os financeiros, todos com certeza se realizarão mais dia menos dia.

– …

– Sei que o Senhor já vem realizando alguns. Mas ainda tenho tantos, Senhor, cada um deles tão importante para mim…

– …

– É, bem sei que não existe apenas "eu" neste mundo. Muito o Senhor tem a fazer e por milhões que podem ter até mais merecimento que eu. Mas Lembre-se de mim, Meu Pai, quando tiver um tempinho, e realize mais um desejo meu.

– …

– Qualquer um deles, o Senhor os conhece bem. Ando mais comedida, depois que o Senhor disse que não é por muito falar que se é ouvido.

– …

– Claro, o Senhor faz brotar estes versículos no fundo de
minha mente e é claro que sei que a "indireta" é para mim! Gostou, não é? Tenho orado ao Senhor pelos mesmos desejos há quase um ano. Por isso só menciono meus desejos, não os especifico mais.

– …

– Sei que um dia o Senhor virá até mim trazendo um deles por vez.

– …

– Eu disse sim, porque tenho esperança de que um dia, não muito distante, o Senhor virá até mim, como ia até Adão, na volta da tarde. Até hoje tenho vindo até o Senhor, mas se o Senhor me tornar melhor, mais de seu agrado, tenho certeza de que receberei sua visita.

– …

– E por que não? O Senhor não foi até Samuel? Se eu sentisse a sua presença, diria também: "Fala Senhor, tua serva ouve!…"

– …

– Claro que conheço os meus defeitos, Senhor, e sei que também sou muito pretensiosa. Mas Senhor, não foi dado ao homem a possibilidade de sonhar? Então, sonho com o Senhor! Quer sonho melhor meu Deus? Vem, Shasta, eu levo, eu levo!

– …

– Shasta! Shasta! Olha só Senhor, ele desembestou!

– …

– Mas Senhor, olhe só. São dois cachorros, tenho medo que mordam Shasta!

– …

– Oh! Meu Deus! É mesmo, ele é o NOSSO cachorro, desculpe minha ansiedade, o Senhor está cuidando dele também! Está certo, de hoje em diante não vou mais me preocupar com ele.

– …

– Está bem, quando terminar o passeio assumo de novo a responsabilidade por ele.

– …

– É maravilhoso poder contar com sua proteção enquanto se transita pela vida. É muito mais tranqüilo viver, quando se sabe que o Senhor tem cuidados para conosco.

– …

– Realmente, o Senhor sempre está velando por nós, o problema é que somos mesquinhos demais na maioria do tempo, e não nos preparamos para sentir seu manto protetor nos cobrindo. Como cobrias com uma nuvem seu povo na fuga do Egito, para que viajasse na sombra, e com tantos cuidados que o Senhor dispensava o povo ainda vivia fazendo coisas que O desagradavam.

– …

– É Senhor, que povo duro o Senhor foi escolher! Mas entendo, aquele que finalmente se achega ao Senhor, vale mais que qualquer um que pouco Fazes para conquistar. É o caso da ovelha perdida, que vale mais para o pastor que as que estão ali bem quietinhas no aprisco. É uma queda de braço constante essa labuta do Senhor com o seu povo. O senhor chama e eles fogem e depois quando as coisas não vão bem, dobram os joelhos e clamam: Ah! Senhor, por que nos desamparastes? Acho que fica bem Bravo quando ouve isso não é Senhor?

– …

– É mesmo, já percebi que o Senhor gosta de quebrar os orgulhos, as vaidades. É bem assim mesmo que o Senhor está fazendo comigo. Mas é bom, Senhor, espero que o Senhor faça comigo conforme a letra do corinho que diz:

"Eu quero ser, Senhor amado,

como um vaso nas mãos do oleiro,

quebra a minha vida

e faça-a de novo,

eu quero ser, eu quero ser…

um vaso novo."

– …

– Ah! Senhor meu Deus e meu Pai é isso mesmo, um vaso novo, inteiramente de seu agrado. É muito bom saber que o Senhor está tratando disso a cada dia. Melhorando-me aos pouquinhos, mostrando onde me acertar, para que o Senhor tenha mais prazer em me ver! Mas chegamos ao fim de nosso passeio matinal, fica Senhor comigo até o final do dia, fica comigo durante a noite, que Sua mão esteja bem segura à minha. Não me deixe cair em tentações, não me deixe ter atitudes impensadas. Que o meu viver neste dia seja reflexo de Jesus Cristo em mim. Que o Espírito Santo esteja comigo e não me deixe cair em erro, pois é Ele quem convence o pecador de seus pecados. E quando eu pecar, dê-me chance de remediar o mal feito. Senhor, peço uma benção especial para meu carteiro, ele além do telefone, é o responsável por trazer para mim todas as boas notícias que tenho recebido e as que certamente tenho a receber. Abençoe-o, Senhor, e que em breve o Senhor conceda que traga as respostas positivas que espero há tanto tempo! Guarde minha casa, repreende o devorador, livra de todo mal aqueles com quem tenho laços de sangue e de amizade. Fica Senhor em mim eu O louvo, de todo o meu coração, eu O amo com toda minha alma e com todo o meu entendimento. Glórias a ti meu Deus, glórias, glórias, aleluia. Louvado seja o nome do Senhor! É em nome de Jesus Cristo, seu filho que oro, amém! Até amanhã Senhor, chova ou faça sol, estarei aqui ou no seu reino!

A jornada diária está findando, e Giselle vem caminhando devagar, com suas indefectíveis sandálias havaianas, seu cabelo num amarrado desalinhado, segurando a guia do cachorro que está arfando, com quase um palmo de língua para fora. Ela vem tranqüila, serena, cantando baixinho um último hino ao Senhor, sua voz não é lá essas coisas, mas ela segue cantando:

"Bem de manhã…

embora o céu sereno, pareça um dia calmo anunciar.

Vigia e ora o coração pequeno, um temporal pode abrigar.

Bem de manhã… E sem cessar, vigiai e orai…"

_____________________________

Este conto foi premiado e editado no Livro 2º Prêmio Missões Trabalho premiado no 2º Prêmio Missões em 1999 na cidade de Roque Gonzáles/RS

Malva Gomes dos Santos – Escritora radicada em Aracaju/SE tem trabalhos premiados e participa de várias antologias no Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, São Paulo e em Salvador, na Bahia. É Membro Efetivo do Grupo Cultural Pórtico. Livro publicado: Vamos pro mundo? E livro editado pela Editora Ripress: Eu, o Magistrado! Tem textos publicados na Notívaga e em vários outros sites.

Atenção: Qualquer produto citado neste post não é um medicamento e não substitui o tratamento médico. Terapias citadas neste post não substituem a visita ao seu médico regularmente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *