Publicado em

Apneia: O que é Apneia do sono?

A pausa na respiração é chamada de episódio de apneia. Quase todas as pessoas têm episódios de apneia quando dormem.

Sinônimos:

Síndrome da apneia obstrutiva do sono, SAOS, distúrbio respiratório do sono… Não importa muito o nome, mas é preocupante e é uma doença na qual ocorrem pausas na respiração durante o sono porque as vias aéreas estreitam, ficam bloqueadas ou frouxas.

Causas:

Todos os músculos do corpo ficam mais relaxados durante o sono. Isso inclui os músculos que ajudam a manter as vias respiratórias abertas e permitem o fluxo do ar para os pulmões.

Geralmente, a faringe permanece aberta o bastante para permitir a passagem do ar. Entretanto, em algumas pessoas, essa região da garganta é mais estreita. Quando os músculos da faringe relaxam durante o sono, a respiração pode ser interrompida por um período (geralmente mais de 10 segundos). Isso é chamado de apneia.

O ronco em pessoas com apneia obstrutiva do sono é causado pelo ar que tenta passar pela via aérea estreitada ou bloqueada. No entanto, nem todas as pessoas que roncam têm apneia do sono. Outros fatores podem aumentar o risco:

  • Determinados formatos de palato ou via aérea podem fazer com que a via aérea seja mais estreita ou se feche mais facilmente
  • Amígdalas e adenoides grandes em crianças que possam bloquear a via aérea
  • Pescoço ou clavícula largos (43 cm ou mais nos homens e 40 cm ou mais nas mulheres)
  • Língua grande que pode enrolar e bloquear a via aérea
  • Dormir de bruços também aumenta os episódios de apneia do sono.

Exames:

O médico realizará um exame físico e um histórico médico completos, que envolverá examinar cuidadosamente sua boca, pescoço e garganta. Talvez você precise responder um questionário sobre a sua sonolência diurna, qualidade do sono e hábitos noturnos.

Um estudo do sono (polissonografia) é usado para confirmar a apneia obstrutiva do sono.

Outros exames que podem ser realizados incluem:

  • Gasometria arterial
  • Eletrocardiograma (ECG)
  • Ecocardiograma
  • Estudos de função da tireoide

Sintomas de Apneia do sono:

Normalmente, uma pessoa com apneia obstrutiva do sono não sabe que tem episódios de apneia durante a noite. Geralmente, seus familiares presenciam os períodos de apneia.

Um paciente com apneia obstrutiva do sono normalmente começa a roncar profundamente logo após adormecer. Muitas vezes, o ronco fica mais alto. Em seguida, é interrompido por um longo período de silêncio durante o qual não há respiração. Essa oclusão é seguida por um urro alto e um suspiro à medida que a pessoa tenta respirar. Esse padrão se repete.

Muitas pessoas acordam cansadas de manhã e se sentem com sono ou lentas ao longo do dia. Isso é chamado de sonolência excessiva durante o dia (EDS).

Pessoas com apneia do sono podem:

  • Ficar nervosas, impacientes ou irritadas
  • Ter esquecimentos
  • Adormecer enquanto trabalham, lêem ou assistem TV
  • Sentir sonolência ao volante ou até adormecer
  • Ter dores de cabeça difíceis de cuidar

Problemas que podem ocorrer com essa doença:

  • Depressão que se agrava
  • Comportamento hiperativo, principalmente em crianças
  • Inchaço nas pernas (se o caso for grave)

Buscando ajuda médica se:

  • Você apresentar sonolência excessiva diurna
  • Você ou sua família notarem sintomas de apneia obstrutiva do sono
  • Você tiver a doença e os sintomas não melhorarem com o tratamento ou novos sintomas aparecerem

Procure ajuda médica imediata ou ligue para o número de emergência local se você apresentar algum dos seguintes sinais de emergência médica:

  • Perda de consciência
  • Sonolência extrema
  • Alucinações
  • Mudanças de personalidade
  • Confusão persistente

Tratamento de Apneia do sono:

O objetivo é manter as vias respiratórias abertas para que a respiração não seja interrompida durante o sono.

As seguintes mudanças no estilo de vida podem aliviar os sintomas da apneia do sono em algumas pessoas:

  • Evitar a ingestão de álcool e sedativos antes de dormir
  • Evitar dormir de barriga para cima
  • Perder peso

Atualmente, o CPAP (máscara para pressão positiva contínua na via aérea) é considerado o tratamento padrão para a apneia obstrutiva do sono na maioria das pessoas. O CPAP é aplicado por uma máquina com uma máscara facial apertada.

Muitos pacientes não toleram o tratamento com CPAP. Um bom apoio e acompanhamento de um centro de estudos do sono pode, normalmente, ajudar a superar qualquer problema com a utilização do CPAP. Para obter mais informações sobre esse sugestão, consulte: CPAP.

Talvez alguns pacientes precisem usar aparelhos odontológicos na boca durante a noite para manter a mandíbula posicionada mais para frente.

As cirurgias costumam ser a melhor opção em alguns casos. Isso pode envolver:

  • Uvulopalatofaringoplastia (UPFP): para remover o excesso de tecido na parte posterior da garganta (não há comprovação de que isso funciona bem)
  • Cirurgias mais invasivas: para corrigir estruturas anormais da face nos raros casos em que o paciente apresenta apneia do sono grave ou em que o tratamento não tiver ajudado.
  • Traqueostomia: para criar uma abertura na traqueia e contornar as vias respiratórias bloqueadas caso existam problemas físicos (raramente realizada).
  • Cirurgias no nariz ou na cavidade óssea.
  • A cirurgia para remoção de amígdalas e adenóides pode curar a doença em crianças, mas ela parece não ser eficaz na maioria dos adultos.

Expectativas:

Com tratamento, os sintomas da apneia do sono devem ser completamente corrigidos.

Complicações possíveis:

Em razão da sonolência diurna, as pessoas com apneia do sono apresentam um risco maior de:

  • Acidentes de automóvel por dirigir com sono
  • Acidentes de trabalho por adormecer no serviço

A apneia obstrutiva do sono não cuidada pode conduzir a (ou piorar) uma doença cardiovascular, como:

  • Arritmias cardíacas.
  • Insuficiência cardíaca.
  • Pressão alta.
  • Disfunção sexual.
  • Derrame

Prevenção:

As crianças com amídalas e adenóides muito grandes podem desenvolver a apneia do sono ou outros problemas relacionados. Elas devem ser examinadas por um médico para determinar se outros exames são necessários.

Atenção: Qualquer produto citado neste post não é um medicamento e não substitui o tratamento médico. Terapias citadas neste post não substituem a visita ao seu médico regularmente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *