Publicado em

Ansiedade

Ansiedade, inquietação ou nervosismo é uma característica biológica do ser humano, que antecede momentos de preocupação, perigo real ou imaginário e festividades. A ansiedade é marcada por sensações corporais desagradáveis, tais como uma sensação de vazio no estômago, coração batendo rápido (taquicardia), medo intenso, aperto no tórax, transpiração excessiva, e outras alterações associadas à disfunção do sistema nervoso autônomo.

A ansiedade às vezes pode ser confundida com medo e, muitas vezes vem associada com ele, medo de perder, medo de enfrentar, medo de escolher de forma errada, medo de conhecer pessoas estranhas, medo de sair de casa… São tantos os medos que podem se misturar à ansiedade que seria bom se falássemos oportunamente de cada um em particular.

Esses dois aspectos, tanto a ansiedade quanto o medo, não surgem na vida da pessoa por uma escolha, ninguém os quer como companheiros pelas estradas da vida. Eles aparecem num momento em que a pessoa está fragilizada, sem condições de reagir e se instalam. São hospedes de difícil partida, vão ficando, ficando e a pessoa a cada dia menos força tem para expulsá-los.

Acredita-se que vivências interpessoais e problemas na primeira infância possam ser importantes causas desses sintomas. A presença de pessoa mais forte, mais agressiva junto a uma pessoa mais fraca acabará por gerar na segunda, sentimentos de inferioridade e a sensação de impotência para se rebelar e retomar seu lugar. E ainda há as causas biológicas como anormalidades químicas no cérebro ou distúrbios hormonais.

Sabe-se que a ansiedade é um estado emocional que se adquire também como consequência de algum ato interno ou externo. Temos uma consciência que nos permite distinguir o certo do errado e quando realizamos algo que a nossa consciência diz ser errado, como adultério, assassinato, mentira, difamação ou desacato a alguém que sempre nos fez o bem, isso nos leva a sentir peso na consciência, é como se nossa cabeça ficasse literalmente com peso extra e sentimos culpa e ela impede o nosso equilíbrio. A ansiedade pode levar à depressão e aí a situação fica ainda mais difícil.

É um inferno este sentimento que se apossa de nós quando praticamos algo errado. Ficamos revivendo a cena, as frases que dirigimos à pessoa que afrontamos e isso nos causa mais mal. Ficamos incapacitados para esquecer, não conseguimos passar por cima do malfeito se formos seres humanos normais, pessoas conscientes do mal que pratica. E com certeza acabamos sofrendo mais do que sofreu a pessoa que agredimos.

Embora para a medicina alopata a ansiedade não seja doença, para a medicina chinesa a ansiedade é uma doença da energia do corpo, pois não existe órgão lesado que produza marcadores bioquímicos como: hormônios, enzimas que indique lesão etc. mas o desequilíbrio do organismo existe. O desequilíbrio ocorrerá futuramente com o agravo do quadro ou com a evolução do agudo – crônico – degenerativo.

Todas as pessoas podem sentir ansiedade, principalmente com a vida atual, tão atribulada. A ansiedade acaba tornando-se constante na vida de muitas pessoas. Dependendo do grau ou da frequência, pode se tornar patológica e acarretar muitos problemas posteriores, como o transtorno da ansiedade. Portanto, nem sempre é patológica. É doença que gera dor na alma, que inquieta o espírito e entristece o coração.

Ter ansiedade ou sofrer desse mal faz com que a pessoa perca uma boa parte da sua autoestima, ou seja, ela deixa de fazer certas coisas porque se julga incapaz de realizá-las. Dessa forma, o termo ansiedade está, de certa forma, ligado sim à palavra medo, sendo assim a pessoa passa a ter medo de errar quando da realização de diferentes tarefas, sem mesmo chegar a tentar.

A ansiedade em níveis muito altos, ou quando apresentada com a timidez ou depressão, impede que a pessoa desenvolva seu potencial intelectual. O aprendizado é bloqueado e isso interfere não só no aprendizado da educação tradicional, mas na inteligência social. O indivíduo fica sem saber como se portar em ocasiões sociais ou no trabalho, o que pode levar à estagnação na carreira.

As pessoas ansiosas têm um vasto número de sintomas. Muitos resultam de um aumento da estimulação do sistema nervoso vegetativo ou autônomo, que controla o reflexo ataque-fuga. Outros são somatizações, ou seja, os doentes convertem a ansiedade em problemas físicos, incluindo dores de cabeça, distúrbios intestinais e tensão muscular. Cerca da metade das pessoas com ansiedade sofrem principalmente de sintomas físicos, normalmente localizados nos intestinos e no peito.

Conforme a sintomatologia, a ansiedade pode ser classificada em vários transtornos, mas sempre quando há um grau patológico, definido como aquele que causa interferência nas atividades normais do indivíduo.
São sintomas da ansiedade: Fadiga – Insônia – Falta de ar – Picadas nas mãos e nos pés – Confusão nas ideias – Instabilidade ou sensação de desmaio – Dores no peito e palpitações – Afrontamentos – Arrepios – Suores – Frio – Mãos úmidas – Boca seca – Contrações ou tremores incontroláveis – Tensão muscular – Dores – Necessidade urgente de defecar ou urinar – Dificuldade em engolir – Sensação de ter um “nó” na garganta – Dificuldades para relaxar – Dificuldades para dormir – Leve tontura ou vertigem – Vômitos incontroláveis – Sensação de impotência.

Como sair dessa situação? Não é fácil, mas em muitas ocasiões quando nós erramos há a necessidade de um encontro com a pessoa que foi alvo de nossa ação desagradável, impõe-se também um pedido sincero de desculpas. Se a pessoa aceitar ou não, só por termos chegado a este ponto, nossa culpa pelo ocorrido será amenizada a ponto de sairmos da situação. Sempre recomendo a oração, pois ela nos ajuda, nos fortalece para que possamos resolver nossos problemas quando os levamos ao pé da cruz. Uma oração sincera abre o caminho para nos entendermos com quem magoamos, facilita o pedido de perdão e nos reconduz à paz interior tão necessária em nossas vidas.

Mas a ansiedade nos ataca e muitas vezes a causa foram agressões na infância, bullying na escola, no trabalho ou mesmo em casa por irmãos mais velhos. Neste caso sofremos o ataque, fomos as vítimas e nossos atacantes saíram rindo e não demonstram sofrimento nenhum pelo mal que nos fizeram. O que fazer? Interessante é que para vítima e réu a receita inicial é a mesma: Oração e perdão em primeiro lugar. Entretanto, às vezes há necessidade de um tratamento quando a pessoa é muito frágil e precisa fortalecer seu sistema nervoso, controlar melhor suas emoções para poder seguir com sua vida sem sofrer outros danos.

O tratamento natural é feito com:

Fitoterápicos:
03 Caixinhas de Chá de mulungu : 01 colher de chá em 200 ml de água fervente. Tampar – Desligar o fogo – amornar e tomar 30 minutos antes de ir dormir.
05 Frascos Floral Essencial Depressin: 30 gotas em 200 ml de água às 08 horas e repetir às 14 horas se houver necessidade.

Nosodioterapia:
04 frascos de Constitucional de Bach Nº ___ (a ser determinado de acordo com sua idade, peso e altura, envie dados para nosso e-mail de contato).
05 Frascos de Nosódio Cerebral – 05 gotas em 50 ml de água manhã e repetir à noite (20 horas).

Viver em paz consigo mesmo, com o mundo e com Deus é um objetivo difícil de ser alcançado, mas que deve ser buscado incessantemente para que possamos viver felizes e saudáveis.

Atenção: Qualquer produto citado neste post não é um medicamento e não substitui o tratamento médico. Terapias citadas neste post não substituem a visita ao seu médico regularmente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *