Publicado em

Trocar os idosos pelos presos

Hoje estou zangada e escrevo para desabafar a angústia que me invade o peito. São dez horas e já recebi três idosos que não têm com que pagar a consulta e nem para os fitoterápicos. Os três estão mal alimentados, chorosos, deprimidos fora as mazelas próprias da idade. Aí fiquei furiosa lembrando das notícias do primeiro jornal televisionado nesta manhã: Seis assaltos, um estrupo, três espancamentos e dois roubas de carro e um de moto. E veja bem, para uma cidade do tamanho de Aracaju, até que é pouco. Mas a revolta é tão grande quanto a de alguém numa cidade bem maior, como Rio, São Paulo, BH, Curitiba…

Tanto bandido solto, martirizando a população e tanto bandido preso, às custas da população… Daí veio o texto: Trocar os idosos pelos presos.

Vamos trocar? Colocar nossos idosos nas cadeias e os delinquentes fechados nas ”casas de repouso” ou acorrentados dentro da casa de seus familiares, ou mais modernamente, com aqueles objetos nos tornozelos que não deixa que eles ultrapassem o limite do quintal.

Desta maneira, os idosos teriam todos os dias:

  • Acesso a roupa lavada, comida, ducha, lazer, jogos e exercícios.
  • Teriam medicamentos, assistência médica e odontológica regular e gratuita.
  • Estariam permanentemente acompanhados.
  • Teriam refeições quentes cinco vezes ao dia.(café da manhã, almoço, café da tarde, jantar e café a noite)
  • Não teriam que pagar nada pelo seu alojamento.
  • Teriam direito a vigilância permanente por vídeo e receberiam assistência imediata em caso de acidente ou emergência sem qualquer custo.
  • Suas camas seriam mudadas duas vezes por semana e a roupa lavada e passada com regularidade.
  • Um guarda visitá-los-ia a cada 30 minutos e levar-lhes-ia a correspondência diretamente em mãos.
  • Teriam um local para receberem a família ou “outras visitas”.
  • Teriam acesso a uma biblioteca, sala de exercícios e terapia física/espiritual.
  • Seriam encorajados a fazer cursos, terapias ocupacionais adequadas, com formadores, instalações e equipamentos gratuitos.
  • Ser-lhes-ia fornecido gratuitamente todas as roupas e produtos de higiêne pessoal.
  • E o salário que é mandado para a família dos presos, iria para a família do idoso (R$ 860,00).
  • Teriam assistência jurídica gratuita.
  • Viveriam numa habitação segura, com um pátio para convívio e exercícios.
  • Acesso a leitura, computador, televisão, rádio e chamadas telefônicas na rede fixa.
  • Teriam Psicólogos, Assistentes Sociais, Políticos, Televisões, Anistia Internacional, etc… disponíveis para escutarem as suas queixas.
  • O secretariado e os cuidadores seriam obrigados a respeitar um rigoroso código de conduta, sob pena de serem duramente penalizados.
  • Ser-lhes-iam reconhecidos todos os direitos humanos internacionalmente convencionados e subscritos.

Por outro lado, na casa de repouso ou em suas próprias casas:

  • Os delinquentes viveriam como vivem hoje os nossos idosos, numa pequena e tosca habitação, geralmente com obras feitas há mais de 50 anos.
  • Seriam malcuidados pelos mais fortes por não contribuírem mais para as despesas domésticas.
  • Teriam pouca comida e as comeriam muitas vezes fria e fora de hora.
  • Teriam que cuidar da própria roupa.
  • Viveriam largados e sem vigilância de seu estado físico e emocional.
  • Não teriam, na maioria das vezes, ninguém que os ajudasse a tomar os medicamentos.
  • De vez em quando, seriam vigarizados, assaltados ou até violados.
  • Se morressem num canto qualquer da casa, poderiam ficar dias, até alguém os encontrar.
  • As instituições, jornais e os políticos não lhes dariam qualquer importância ou assistência.
  • Morreriam após anos à espera de uma simples consulta médica ou de uma operação cirúrgica.
  • Não teriam ninguém a quem se queixar.
  • Tomariam um banho de 15 em 15 dias, sujeitando-se a não haver água quente.
  • Passariam frio no Inverno porque não teriam cobertores suficientes.
  • O único entretenimento diário consistiria em ver duas horas de telenovelas.

E nas nossas casas? Viveríamos como estamos vivendo, assustados, trancafiados e milhares de ladrões, assassinos, estrupadores e políticos sacanas soltos.

E nas ruas? Viveríamos como estamos vivendo, assustados, olhando para todos os lados tentando adivinhar de onde poderá partir o tiro ou de onde virá o próximo assaltante, e sabendo que milhares de ladrões, assassinos, estrupadores e políticos sacanas estão soltos.

Reflitam…

Não se esqueçam:

O salário mensal de cada preso é de R$ 860,00, e eles não pagam comida, remédio, móveis, roupa de cama, roupas, energia, água e telefone fixo e ainda é muito melhor do que a aposentadoria dos idosos que trabalharam duro por muitos anos de suas vidas.

DIREITOS HUMANOS? Como diz a bandidagem: só prus manus !

E aí Presidente Dilma ? Senadores? Deputados? Será que um de vocês terá coragem de vir a público e falar que vai trabalhar essa ideia? Ou será que um de vocês consegue entender que algo neste sentido está muito errado mesmo?

Bandido com todas as regalias e salários a receber por uma vida de crimes X Idosos que labutaram a vida toda e o que recebem do INSS mal dá para comer, não dá para vestir, nem calçar, nem consultar, nem medicar… Só mesmo no Brasil é aceito que eles fiquem jogados no chão de hospitais esperando uma vaga numa cadeira, pois nem conseguem sonhar com uma vaga na maca, que dirá de uma num leito.

Quem é corajoso bastante para isso?

Malva Gomes dos Santos

Terapeuta – Nosodioterapeuta e Iridóloga

Atenção: Qualquer produto citado neste post não é um medicamento e não substitui o tratamento médico. Terapias citadas neste post não substituem a visita ao seu médico regularmente.

Deixe um comentário ou resposta...