Publicado em

Pimenta caiena: Queima até calorias…

Você sabia que a pimenta, aquele condimento de sabor picante, traz diversos benefícios à saúde? O poder nutricional e o medicinal fazem da pimenta um alimento muito saudável. Seu sabor ardente deve-se a uma substância com propriedades analgésicas e energéticas. Rica em vitaminas, a pimenta também favorece a redução de coágulos no sangue, pois é vasodilatadora; estimula a produção de endorfina no cérebro, hormônio que produz a sensação de bem-estar; apresenta ação antioxidante, antiinflamatória e anticancerígena; e ainda reduz o apetite, sendo benéfica ao tratamento da obesidade.

Pimenta-de-caiena ou simplesmente: Pimenta caiena. O nome desta pimentaderiva do fato de ter sido muito comercializada a partir de Caiena(capital da Guiana Francesa) para a Europa e depois para omundo inteiro. É a pimenta mais comercializada no mundo ocidental. O nome é atribuído à espécie Capsicum baccatum,uma variedade de malagueta, conhecida como "dedo-de-moça" ou"chifre-de-veado", esta última caracterizada por frutos de maiores dimensões e coloração mais intensa. Freqüentemente, porém, oque se denomina como "pimenta-de-caiena", não é exatamente a Capsicum baccatum tradicional, mas uma mistura de pimentasvermelhas secas (malagueta, dedo-de-moça, chifre-de-veado). Ébastante utilizada nas cozinhas mexicana e tailandesa paratemperar molhos, peixes e aves. Pimenta caiena – uma das mais utilizadas como alimento para acura e a manutenção da saúde. Note bem: Esta pimenta não é um tipo, mas uma variedade de malaguetas vermelhas secas, como dedo-de-moça ou chifre-de-veado, que são frutos grandes e de coloração forte. Trata-se de uma pimenta muito famosa pelo seu emprego culinário, que acaba por produzir efeitos medicinais.

Os efeitos conhecidos sobre a saúde referem-se à sua ação em todo o aparelho digestivo, sobre o coração e aparelho circulatório, agindo também como um catalisador ou potencializador dos efeitos de outras plantas. A caiena é considerada uma erva nutricional por autoridades médicas do mundo inteiro, principalmente pelo seu elevado teor de betacaroteno (vitamina A) e vitamina C, além de vitaminas do complexo B, alto teor de cálcio e potássio (razões para ser bom para o coração e as artérias). Os estudos mostram que esta pimenta é capaz de refazer os tecidos do estômago e favorecer a ação peristáltica dos intestinos, melhorando a prisão de ventre. A caiena atua aumentando a assimilação de nutrientes e a eliminação de resíduos tóxicos do organismo. Estimula a produção de ácido clorídrico, necessário para a digestão e assimilação adequada de nutrientes, principalmente das proteínas. Isso é particularmente importante se entendermos como a digestão e a saúde digestiva são fundamentais para a boa condição psíquica,emocional e mental, pois têm reflexo sobre o cérebro, as glândulas de secreção, os músculos e todas as partes do corpo.

Um remédio para o coração

A pimenta caiena tem sido apontada como capaz de interromper um ataque cardíaco em 30 segundos. Cita-se como exemplo um caso ocorrido no Oregon, EUA, em que um homem de90 anos, acometido por um severo ataque cardíaco, depois de ter sido considerado clinicamente morto pelos médicos, foi salvo por sua filha que colocou extrato de pimenta caiena na boca do pai moribundo ainda na ambulância a caminho do hospital. O Dr. Richard Anderson é um médico norte-americano muito conhecido pelo emprego da pimenta caiena e de outras ervas no tratamento e prevenção de doenças. Ele faz menção à uma combinação entre pimenta caiena e hawtorn (espinheiro alvar ou crataegus) para fortalecer o coração e prevenir ataques cardíacos. Ele acrescenta que se uma pessoa utiliza continuamente, por longos meses essa combinação, mesmo que sofra um infarto, os danos serão bem menores. Existem muitas indicações e aplicações da pimenta caiena, recomendados por médicos e estudiosos do mundo inteiro. O quadro na próxima página resume as principais delas:

Indicações da pimenta caiena

Acne
Alcoolismo
Amidalites
Antioxidante
Apoplexia
Arteriosclerose
Artrite
Asma

Bactericida
Bronquite
Calafrios
Câncer de próstata
Cardiotônico
Choque
Circulação
Cólicas

Constipação
Contusões
Coração
Cortes
Debilidade
Delirium tremens
Depressão
Desordens digestivas

Diabetes
Dor de estômago
Dor de garganta
Dor intestinal
Enxaquecas
Escarlatina
Estômago
Extremidades frias

Fadiga
Febre
Febre amarela
Febre tifóide
Febrículas
Fraquezas
Fraturas
Gases

Gota
Halitose
Hemorragias
Hemorróidas
Icterícia
Indigestão
Infecções
Inflamações

Intestino
Intoxicação
Lumbago
Machucados
Medicamento natural
Micoses
Mucosidade
Neuralgia

Obesidade
Palpitação
Pâncreas
Paralisias
Parasitas
Pleurisia
Pressão alta
Pressão baixa

Queimaduras
Resfriados
Reumatismo
Rinite
Rins
Sinusite
Tosse
Tumores

Úlceras
Veias varicosas
Viroses
Visão
Vitalidade
Vômitos

Pimenta caiena ajuda a emagrecer

O uso da pimenta vermelha durante as refeições, estimula o sistema nervoso simpático produzindo aumento da liberação de catecolaminas (noradrenalina e adrenalina) com conseqüente diminuição do apetite e da ingestão de calorias, proteínas e gorduras nas refeições seguintes. Isso mostra que a pimenta pode ser útil em programas de controle de peso corporal.Recentemente, canadenses e holandeses descobriram ser apimenta um bom recurso contra o excesso de peso. As evidências vêm de um trabalho conjunto entre cientistas da Universidade Lavai, em Quebec, no Canadá, com colegas do Centro de Ciências Alimentícias de Wageningen, na Holanda. Segundo o estudo, o fruto da pimenteira derreteria os estoques de energia acumulados em forma de gordura corporal. Isso graças à capsaicina, substância presente na parte mais esbranquiçada, onde ficam as sementes. Para quebrar os nutrientes da comida e absorvê-los, o aparelho digestivo gasta muita energia. A capsaicina faz com que ele se abasteça nos depósitos gordurosos. Esse processo, além disso, aumenta a temperatura corporal (termogênese) e, para dissipá-la, são necessárias mais calorias.Segundo o professor Angelo Tremblay, da Universidade Lavai, que investiga a pimenta há muitos anos, ela realmente ajuda no controle de peso. A nutróloga e especialista em Medicina ortomolecular Tâmara Mazaracki, do Rio de Janeiro, afirma que a capsaicina é capaz de reduzir a formação de gases e melhorar a produção do suco gástrico. Embora a pesquisadora alerte contra o risco da pimenta irritar a parede gástrica, afirma também que apimenta parece ser capaz de combater a bactéria Helicobacter pylori, envolvida na formação de gastrites e úlceras estomacais. Uma dica para quem quer perder peso: Cada seis gramas de pimenta queimam 45 calorias!

Antidepressivo

A adrenalina e a noradrenalina também são responsáveis pelo estado de alerta, daí a ingestão de pimenta estar também associada à melhora de ânimo em pessoas deprimidas.

Antioxidante

Antioxidantes como as vitaminas A e E, o betacaroteno e os flavonóides – abundantes nas pimentas, são fundamentais para neutralizar os radicais livres, átomos tóxicos formados a partir do oxigênio, que reagem aleatoriamente com todos os componentes celulares, prejudicando a função das células. A maior parte das doenças degenerativas, processos inflamatórios, imunodeficiência, doenças auto-imunes e o envelhecimento acentuado são determinados pela ação nefasta do excesso de radicais livres. O exercício físico muito intenso provoca uma produção maior de radicais livres.

Bactericida

Assim como salgar, apimentar os alimentos sempre foi um recurso para a conservação dos alimentos, inclusive as carnes animais, em épocas em que se desconhecia a refrigeração. Isso é possível graças ao poder bacteriostático e bactericida das pimentas. O mesmo efeito ocorre com o uso da pimenta no organismo. Além de combater as bactérias "ruins", a pimenta não prejudica o sistema de defesa e até estimula a recuperação imunológica.

Estômago e intestino

Como a ingestão de pimenta aumenta a secreção de saliva, bile e dos ácidos estomacais, pode haver irritação do estômago ou de intestinos sensíveis; mas, por outro lado, essa quantidade extra de secreção ajuda a digestão em pessoas sem problemas estomacais. Concluímos então que o exagero pode ser prejudicial para os dois casos.

Medicamento natural

A pimenta já está classificada como alimento funcional, ou seja, além dos seus nutrientes, possui componentes que promovem e preservam a saúde. As pimentas são utilizadas como matéria-prima para diversos remédios orais e locais, como os emplastros que aliviam dores musculares ou de reumatismo. Os elementos da pimenta são usados no tratamento de desordens gastrintestinais, enjôos e na prevenção de arteriosclerose, derrame e doenças cardíacas. Contudo, altas doses de drogas que contenham componentes concentrados de pimenta, se administradas por longos períodos, podem causar gastrite crônica, agressão ao fígado e aos rins e efeitos neurotóxicos. Isso ocorre devido ao fato de que essas drogas apresentam concentrações elevadas de capsaicina ou piperina, não acontecendo o mesmo com a pimenta in natura, a não ser que sejam ingeridas quantidades absurdas e por longo tempo. Atualmente, há vários remédios farmacêuticos que utilizam a pimenta e seus componentes; há cremes e suplementos indicados paro tratamento tópico e oral da acne. Eles agem como antioxidantes, antiinflamatórios e desintoxicantes, aumentando a absorção de outros suplementos, incluindo vitaminas, minerais, aminoácidos.

Pimenta contra o câncer de próstata

Há pesquisas realizadas pelo Dr. Akio Mori da Universidade da Califórnia, Los Angeles,publicadas no American Journal of Cancer Rersearch, sobre a ação dos componentes das pimentas contra o câncer de próstata. Interessante verificar, porém, que a medicina popular já utilizava a pimenta para o tratamento dessa doença. Somente agora a ciência comprova tal efeito. Os cientistas concluem esse poder da pimenta através da verificação de que a capsaicina induz a morte das células anômalas. Os estudos mostram que as células cancerígenas têm a capacidade de burlar a apoptose (suicídio da célula quando há algo anormal nela), realizando uma mutação genética que as preserva; a capsaicina atua impedindo esta defesa e promovendo a morte da célula com esta informação, além de reduzir as taxas do PSA – hormônio prostático específico,relacionada com o surgimento de tumores da próstata, conforme afirmam o Dr. Soren Lehmann e Chris Hiley, do The Prostate Cancer Charity.

Outra explicação científica para o efeito da pimenta no câncer de próstata é a ação protetora do licopeno (pigmento vermelho das pimentas dessa cor), conforme apontado anteriormente, que inibe o crescimento dos tumores de próstata.O licopeno e o zinco são abundantes no líquido prostático e a falta de um ou outro, ou de ambos, está definitivamente ligada à formação do câncer de próstata. As pimentas vermelhas são ricas em ambos (licopeno e zinco). Notável é verificar que a sabedoria popular aplica, por intuição, aquilo que a ciência humana só utiliza depois de pesquisas e experiências laboratoriais. De qualquer modo, uma auxilia a outra; a primeira através do empirismo, apontando o caminho para a pesquisa, e a segunda através da experimentação científica. O Dr. Sérgio Puppin, médico cardiologista e nutrólogo, autor de várias obras e pesquisador do Rio de Janeiro, comentando sobre os efeitos medicinais da pimenta, afirma: "Os componentes anticoagulantes da pimenta ajudam na desobstrução dos vasos sangüíneos". Segundo o gastroenterologista e cirurgião Dr. Almino Cardoso Ramos, do Hospital Santa Rita, em São Paulo, o consumo de pimenta é essencial para quem tem enxaqueca ou dor de cabeça crônica: "Elas provocam a liberação de endorfinas,analgésicos naturais extremamente potentes que o nosso cérebrofabrica". Entre outros benefícios, a pimenta impede a coagulação do sangue e, portanto, evita tromboses, reduz o risco de doenças como câncer, catarata, mal de Alzheimer e diabetes. Pesquisas científicas recentes mostram que a pimenta é um poderoso aliado no auxílio da saúde e prevenção à depressão e outros males que afetam o humor e a disposição dos seres humanos.

A Pimenta caiena tem largo emprego segundo a Medicina Tradicional Chinesa

Segundo a medicina chinesa, a pimenta na comida influencia o equilíbrio energético. Uma gastrite, por exemplo, pode ser causada por questões emocionais que levam ao aumento do calor, ou seja, da energia yang, ou pode ser provocada por um mau funcionamento estomacal relacionado ao frio ou aumento da energia yin. Por ser um alimento aquecedor, a pimenta é contra-indicada no primeiro caso e recomendada no segundo, ensina o Dr. Mauro Perini, médico, professor da pós-graduação da Universidade Federal de São Paulo. Neste caso é necessário o diagnóstico preciso. Para a medicina do Extremo Oriente, os sabores têm grande influência sobre a saúde. Okamoto, médico da corte japonesa recomenda comer pequenas quantidades de alimentos apimentados e amargos para o fortalecimento dos órgãos.Produtos como a pimenta vermelha beneficiam os pulmões,enquanto os amargos tonificam o coração. Já para o controle da hipertensão, ele cita que o consumo de gengibre, maçã, mamão,kiwi, chá verde, vinagre e ácidos para desobstrução de artérias, ao passo que brócolis, couve-flor, feijão preto e o óleo de oliva reduzem o teor de gordura do sangue.Na mesma linha de pensamento está o Dr. Naboro Muramoto, o médico japonês autor do livro Médico de Si Mesmo, um clássico sobre medicina oriental que fez muito sucesso na década de 1970 na Europa e nos Estados Unidos. Na obra, ele informa que o sabor picante da pimenta faz bem aos pulmões; o ácido, ao fígado; o doce, ao pâncreas; o salgado, aos rins e o amargo, ao coração.

Pimenta para combater a depressão
Comentando sobre a medicina chinesa, o médico Arnaldo Marques Filho mostra que é necessário adotar uma dieta balanceada, com o equilíbrio entre alimentos Yin e Yang – palavras de origem chinesa que determinam as duas forças opostas da energia que regem tudo o que há no universo. Dessa maneira, Yin é frio, Yang é quente. De uma maneira geral, as pessoas depressivas, introspectivas e mais lentas deveriam diminuir a quantidade de alimentos Yin, por serem frios e pálidos. Os alimentos Yin são os doces; os yang os salgados. Para corrigir o desequilíbrio, indica-se uma dieta mais Yang, à base de folhas amargas e temperos fortes, como pimenta, para avivar os sentimentos e combater a depressão.

Onde comprar a pimenta caiena: Nos mercados municipais, principalmente das capitais ou casas especializadas em especiarias, condimentos etc. Coloque na busca do Google e aparecera um bom número delas.

Nota: As informações constantes deste blog foram colhidas em:

http://pt.scribd.com/doc/29341710/Pimenta-e-Seus-Beneficios-a-Saude Neste link você encontrará na íntegra o livro sobre pimentas do Dr. Marcio Bontempo, cujas obras aprecio a um longo tempo. Além de informações sobre as suas aplicações medicinais, o livro Pimenta e seus benefícios à saúde / Dr. Marcio Bontempo. – São Paulo: Alaúde Editorial, 2007.Bibliografia.ISBN 978-85-98497-64-81 apresenta algumas receitas nas quais a pimenta é o principal ingrediente, assim você poderá apreciar o sabor inconfundível desta autêntica especiaria.

Dr. Marcio Bontempo é médico homeopata e especialista em saúde pública, presidente da Federação Brasileira de Medicina Tradicional, diretor do Núcleo de Saúde da União Planetária e diretor da Terra Brazil. Profissional da saúde há mais de 25 anos,realizou inúmeras palestras e cursos pelo Brasil e exterior sobre saúde pública e medicina natural científica. Foi assessor da Secretaria Municipal de Saúde do Estado do Rio de Janeiro e membro da Comissão de Saúde da Câmara Federal – DF, além de atuar junto ao Ministério da Saúde, em apoio às novas políticas de saúde pública. Lançou cerca de 50 livros, entre eles: Iniciação à Medicina Holística, Alimentação para um Novo Mundo, Medicina
e Alquimia, Medicina Floral, O Livro da Grande Lei, Receitas para Ficar Doente, Relatório Orion, Almanaque Pés Descalços, o Guia das Águas, O Caduceu de Mercúrio, Spa em Casa, Emagrecer é Sopa, Guia Prático da Alimentação Natural, A Sociedade Planetária.

O Dr. Marcos Bontempo vive hoje em Brasília com esposa e filhos, e dedica-se ao desenvolvimento de projetos e publicações voltadas para a saúde da população brasileira.

Malva Gomes dos Santos

Atenção: Qualquer produto citado neste post não é um medicamento e não substitui o tratamento médico. Terapias citadas neste post não substituem a visita ao seu médico regularmente.

Deixe um comentário ou resposta...