Publicado em

Hortaliças: Raiz forte (wasabi) e Repolho

Indicações terapêuticas: Raiz forte tem eficiente ação anti-séptica, antiescorbútica, digestiva, diurética, estimulante e laxativa, bem como é eficaz na gripe, febre, infecção urinária, reumatismo, dores musculares, bronquite e rouquidão.


RAIZ FORTE (wasabi)

Origem: Leste Europeu – é muito usada como tempero na cozinha japonesa, pertencendo à mesma família do nabo, do rabanete e do agrião.

Características: as três espécies de raiz forte mais conhecidas são: – armoracea lapathifolia; narturtium armoracea e raphanus magna, com raízes idênticas às do nabo comprido, as folhas são fibrosas, com sabor picante, tanto quanto o da mostarda.

Outros nomes: em outras línguas: – inglês: horseradish; – espanhol: raiz picante; – francês: raifort; – italiano: – rafano; – japonês: wasabi; – alemão: meeretich.

Modo de comprar: erva fresca ou em pó.

Modo de consumir: é usada para temperar carnes, embutidos em geral, verduras, ovos, molhos, sopas, marinados, vinagres aromáticos e iguarias orientais, como o sushi. Deve ser consumida logo depois de moída, caso contrário, perde o aroma.

Observação: é contra-indicada para pessoas com distúrbios do estômago ou do intestino, além disso, pessoas sensíveis podem apresentar náuseas, queimação, vômitos, irritação nasal.

Composição: rica em vitaminas a e c; – sais minerais.

Indicações terapêuticas: eficiente ação anti-séptica, antiescorbútica, digestiva, diurética, estimulante e laxativa, bem como é eficaz na gripe, febre, infecção urinária, reumatismo, dores musculares, bronquite e rouquidão.

REPOLHO

 

Origem: é um dos alimentos mais antigos utilizados pelo homem, pois há referências ao seu uso desde o período neolítico, que vai desde 5000 a 2500 a.c. Faz parte da mesma família da couve, mas se diferencia desta pelo formato redondo e compacto.

Tipos: pode ser encontrado nas seguintes variedades e tipos: – branco, mais comum; – verde ou repolho-crespo; – roxo. Podem ser redondos, achatados ou pontudos, e variam também na consistência, que vai da mais macia até a mais dura.

Modo de comprar: é facilmente encontrado em feiras-livres, quitandas e supermercados, vendido por peça ou por peso, sendo preferível escolher os mais pesados e firmes. Quanto às folhas, escolha as viçosas, rijas, sem rasgos ou sem marcas de insetos. Quanto ao talo, deve ser compacto e claro, porque, se estiver mole e com cor mais escura, é uma peça mais velha.

Quantidade: uma peça pequena, em torno de 300 gramas, dá para duas pessoas, em média, lembrando que cerca de 100 gramas do repolho não são podem ser aproveitados.

Modo de conservar: o repolho pode ser guardado na gaveta da geladeira por 8 a 10 dias, pois tem uma boa resistência. Mas é preciso ter o cuidado de, antes, retirar as folhas de fora se observar que estão murchas ou rasgadas. Uma boa tática é cortar o repolho em fatias, ao invés de cortar no meio, caso não vá usá-lo de uma vez só. Em seguida, coloque num saco plástico e guarde na gaveta inferior da geladeira, pois resiste bem, pelo menos, por mais três dias, em média, mas pode ser congelado, caso conclua ser vantajoso, pois, como é facilmente adquirido, talvez não compense usar o método do congelamento.

Modo de consumir: pode ser consumido cru ou cozido, mas o ideal é que seja cru, porque é menos indigesto e provoca menos gases e, além disso, há maior aproveitamento da vitamina C nele contida. L e m b r e-se: preferencialmente cru em saladas. Mas é usado também em sopas, ensopados e refogados, além de outras opções, tais como na culinária oriental – caso do "charuto árabe" , quando é recheado com carne, cebola e outros temperos.

composição: é rico em: – fibras; – sais minerais (cálcio, ferro, fósforo, potássio, enxofre); – vitaminasA , do complexo B, C.

Valor calórico à 100 gramas de repolho cru, fornecem cerca de 25 calorias.

Indicações terapêuticas: contém antioxidantes e substâncias que melhoram a resistência contra doenças. Diminui o risco de doenças do coração, derrame e ajuda a prevenir o câncer de cólon e os tumores malignos causados pelo estrogênio, além de ajudar na cicatrização de úlceras pépticas. Mas pode causar distensão abdominal e flatulência, desprende um odor forte e desagradável de enxofre, durante o cozimento e ao expelir gases intestinais.

 

Atenção: Qualquer produto citado neste post não é um medicamento e não substitui o tratamento médico. Terapias citadas neste post não substituem a visita ao seu médico regularmente.

Deixe um comentário ou resposta...