Publicado em

Hortaliças: Cará

Indicações Terapêuticas: Recomendável: – Para quem tem grandes desgastes físicos (atletas, trabalhadores braçais, etc.), porque, como já foi dito, é altamente energético e de fácil e rápida digestão – Quando é amassado, é ideal para bebês, idosos e convalescentes; – Auxilia a digestão; – Estimula o apetite; – Auxilia no crescimento.

ORIGEM: Desde o período pré-histórico, é cultivado e consumido pelos japoneses (com o nome de satoimo), antes mesmo de cultivarem o arroz. Simboliza a prosperidade e é muito consumido em grandes festividades, como na entrada do Ano Novo. É muito confundido com o inhame, talvez porque na África, YAM signifique FOME, então, tudo que mata a fome, chamam de inhame, por analogia. O cará já era conhecido nas Américas, quando os portugueses aqui chegaram.

CARACTERÍSTICAS: A confusão que as pessoas fazem entre o cará e o inhame é muito grande, pois, na verdade, têm muita coisa em comum, mas as formas são diferentes: – o inhame é arredondado e liso; – o cará é comprido, como a batata-doce e tem alguns pêlos ou filamentos; outra característica na composição: o cará tem menor teor de açúcar do que o inhame.

TIPOS: Há vários tipos, conforme o local onde é cultivado: – cará-pedra; – cará-do-mato; – cará-do-ar; – cará-açu; – cará-da-terra; – cará-de-caboclo; – cará-de-sapateiro; – cará-do-campo; – cará-inhame.

MODO DE COMPRAR: O peso médio está entre 300 e 500 gramas, mas pode ser encontrado bem maior, de 2 quilos ou mais. A cor deve ser marrom, apresenta alguns pelos ou filamentos na casca, normalmente firme e lisa, isto é, sem danificações.

MODO DE CONSERVAR: Pode ser mantido em local seco, arejado e ao abrigo da luz, por algum tempo, sem perder suas propriedades, principalmente se estiver coberto por terra – embrulhar em jornal, conserva mais ainda; não é aconselhável guardar na geladeira, pois poderá deteriorar mais rapidamente.

MODO DE PREPARAR: Pode ser frito, assado, cozinhado, neste caso, é aconselhável fazê-lo com a casca, pois, como já foi falado antes em relação a outras hortaliças, assim os principais nutrientes são mantidos. Se optar por descascar, deixe o cará imerso numa vasilha com água misturada com vinagre, caso contrário, apresentará uma cor escura. Para cozinhar, deixe por cerca de 5 a 6 minutos, cortado em cubos pequenos, para facilitar o cozimento. Se preferir cozinhá-lo inteiro, faça-o até ficar macio, espetando um garfo periodicamente. Deixe esfriar e puxe a casca com uma faca, facilitando para fritar, refogar, passar na manteiga ou no azeite.

MODO DE CONSUMIR: Além das maneiras já citadas, o cará pode ser usado para preparar pães, doces e no acompanhamento de pratos salgados em geral. Em todo o nordeste do Brasil, é muito comum, logo pela manhã, servir o cará ou o inhame cozido, com mel ou melado por cima.

COMPOSIÇÃO: É rico em carboidratos e serve como boa fonte de energia. Não é tão calórico quanto a batata inglesa ou a batata doce, porque é composto por mais de 80% de água. Tem ainda: – Carboidratos; – Proteínas; – Fósforo; – Cálcio; – Ferro; – Potássio; – Vitaminas B1 e B2.

VALOR CALÓRICO à 100 gramas = 120 calorias

INDICAÇÕES TERAPÊUTICAS: Recomendável: – Para quem tem grandes desgastes físicos (atletas, trabalhadores braçais, etc.), porque, como já foi dito, é altamente energético e de fácil e rápida digestão – Quando é amassado, é ideal para bebês, idosos e convalescentes; – Auxilia a digestão; – Estimula o apetite; – Auxilia no crescimento.

Não recomendável: Para pessoas que fazem regime para emagrecer, por ser muito calórico.

Observação: Quem tem tendência à prisão de ventre, deve combinar o cará com salada de folhas, pois ele tem pouco teor de fibras.

Atenção: Qualquer produto citado neste post não é um medicamento e não substitui o tratamento médico. Terapias citadas neste post não substituem a visita ao seu médico regularmente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *