Publicado em

Fibromialgia, o que é?

O termo fibromialgia refere-se a uma condição dolorosa generalizada e crônica. É considerada uma síndrome porque engloba uma série de manifestações clínicas como dor, fadiga, indisposição, distúrbios do sono . No passado, pessoas que apresentavam dor generalizada e uma série de queixas mal definidas não eram levadas muito a sério. Por vezes problemas emocionais eram considerados como fator determinante desse quadro ou então um diagnóstico nebuloso de “fibrosite” era estabelecido. Isso porque acreditava-se que houvesse o envolvimento de um processo inflamatório muscular, daí a terminação “ite”.

Atualmente sabe-se que a fibromialgia é uma forma de reumatismo associada à da sensibilidade do indivíduo frente a um estímulo doloroso. O termo reumatismo pode ser justificado pelo fato de a fibromialgia envolver músculos, tendões e ligamentos. O que não quer dizer que acarrete deformidade física ou outros tipos de seqüela. No entanto a fibromialgia pode prejudicar a qualidade de vida e o desempenho profissional, motivos que plenamente justificam que o paciente seja levado a sério em suas queixas. Como não existem exames complementares que por si só confirmem o diagnóstico, a experiência clínica do profissional que avalia o paciente com fibromialgia é fundamental para o sucesso do sugestão.

A partir da década de 80 pesquisadores do mundo inteiro têm se interessado pela fibromialgia. Vários estudos foram publicados, inclusive critérios que auxiliam no diagnóstico dessa síndrome, diferenciando-a de outras condições que acarretem dor muscular ou óssea. Esses critérios valorizam a questão da dor generalizada por um período maior que três meses e a presença de pontos dolorosos padronizados.

Diferentes fatores, isolados ou combinados, podem favorecer as manifestações da fibromialgia, dentre eles doenças graves, traumas emocionais ou físicos e mudanças hormonais. Assim sendo, uma infecção, um episódio de gripe ou um acidente de carro, podem estimular o aparecimento dessa síndrome. Por outro lado, os sintomas de fibromialgia podem provocar alterações no humor e diminuição da atividade física, o que agrava a condição de dor.

Pesquisas têm também procurado o papel de certos hormônios ou produtos químicos orgânicos que possam influenciar na manifestação da dor, no sono e no humor. Muito se tem estudado sobre o envolvimento na fibromialgia de hormônios e de substâncias que participam da transmissão da dor.

Essas pesquisas podem resultar em um melhor entendimento dessa síndrome e portanto proporcionar um sugestão mais efetivo e até mesmo a sua prevenção.

Cerca de 2,5% da população brasileira é atingida pela fibromialgia, mas ainda existem muitas dúvidas a respeito dessa doença. Na verdade, a fibromialgia só foi catalogada muito recentemente e, por isso, até mesmo os médicos desconhecem esse problema. É muito comum que as pessoas procurem um especialista e sejam descreditadas, já que a dor é “invisível”. Assim, é muito importante divulgar e informar sobre essa doença, que está se tornando cada vez mais comum.

O processo Doloroso é terrível na Fibromiagia. Os mais comuns e característicos sintomas da fibromialgia são dor, fadiga e distúrbio do sono.

A dor é o principal fator que leva o paciente a procurar cuidados médicos. As queixas dos pacientes em relação aos sintomas dolorosos são expressas com palavras do tipo: pontada, queimação, sensação de peso, entre outras.

O paciente apresenta dificuldade na localização precisa do processo doloroso. Alguns têm a impressão de que ela ocorre nos músculos, outros nas articulações, enquanto uma parte relata que a dor se localiza nos ossos ou “nervos”. Uma grande parte destes pacientes se queixa de dor difusa, referindo-se à dor com expressões do tipo: “dói o corpo todo” ou “dói tudo, doutor”, quando interrogados sobre a sua localização.

Tem se demonstrado, por meio de diversos estudos, a diminuição da produtividade e da qualidade de vida na fibromialgia. Isso justifica o crescente interesse da classe médica no estudo dessa entidade clínica.

Causas da Doença

Pouco se sabe sobre os fatores que levam ao aparecimento da fibromialgia, mas estudos mostram que desequilíbrios hormonais e o estresse estão relacionados com o surgimento da doença. Por essa razão, as mulheres são as principais vítimas – a cada 10 casos, apenas 2 acometem os homens.

Nos pacientes, observa-se uma queda nos níveis de serotonina, substância responsável pela sensação de bem estar. Isso explica grande parte dos sintomas. As dores podem ser confundidas com algumas doenças reumáticas, mas, no caso da fibromialgia, não existem inflamações ou deformidades físicas. Contudo, é importante ressaltar que as dores são reais, e não fruto de distúrbios psicológicos.

Sintomas da Fibromialgia

O principal sintoma da fibromialgia é a dor intensa por todo o corpo. Quem sofre com o problema pode, inclusive, ter dificuldade para executar tarefas simples, como limpeza da casa ou levantar objetos do chão. Além da dor, outros sintomas também são característicos da doença, como:

1. Dor generalizada pelo corpo por, pelo menos, três meses.

2. Sono inquieto, superficial e não restaurador (o paciente já acorda cansado).

3. Cansaço, perda de energia e diminuição da resistência a exercícios físicos.

4. Cólon irritado (diarreia alternada com prisões de ventre) e outras disfunções intestinais.

5. Formigamento e dormência nos braços, pernas, rosto e, sobretudo, nas mãos e nos pés.

6. Depressão de ansiedade crônicas.

7. Cefaleia

8. Sensação de inchaço nas articulações.

9. Rigidez muscular.

10. Desconforto diante de mudanças

Tipos de Tratamento Alopático

1. Uso de antidepressivos tricíclicos para aumentar a vida útil da serotonina. A dosagem é menor do que para pacientes com depressão e tem efeito analgésico e de relaxante muscular.

2. Uso de analgésico leve para interromper o ciclo da dor. Indicado em casos de crises agudas, tem efeito temporário.

3. Exercícios físicos de baixo impacto (caminhadas ou natação) aumentam a produção da endorfina e melhorar a oxigenação muscular.

4. Alongamento para aliviar a sensação de dor provocada pela contração muscular excessiva, comum em pacientes com fibromialgia.

5. Acupuntura para melhorar a qualidade do sono, estimular a produção de serotonina e endorfina e combater a depressão e a ansiedade.

6. Redução das situações de estresse procurando fazer pequenas pausas de descanso ao longo do dia para evitar a fadiga.

7. Técnicas de relaxamento: ioga, meditação, massagem, meditação, massagem e hidroterapia (a água também ameniza a dor).

Fatores de Risco

1. Falta de condicionamento físico: o sedentarismo é apontado como o principal fator de risco. “Pouquíssimos atletas desenvolvem fibromialgia”,

diz Jamil Natour, reumatologista da Unifesp.

2. Mudanças hormonais como incidência de fibromialgia são maiores em mulheres que estão entrando na menopausa: os pesquisadores suspeitam que as mudanças hormonais estejam entre os fatores que desencadeiam a doença.

3. Estresse e traumas emocionais: um acidente de carro pode estimular o aparecimento da doença.

4. Doenças infecciosas: há vários relatos de pacientes que desenvolveram fibromialgia depois de serem acometidos por doenças infecciosas.

5. Hereditariedade: filhos de fibromialgicos têm mais chances de desenvolver a doença, mas os pesquisadores não sabem se o fator de risco é o estilo de vida da família ou a genética.

Como Tratar com a Medicina Alternativa:

TROFOTERAPIA:

Vitamina D: Em alguns casos observou-se que indivíduos com fibromialgia possuem carência de vitamina D que manifesta-se causando osteoporose, dor de cabeça e enxaquecas e por isso aconselha-se um aumento do consumo de alimentos que contém vitamina D como atum, gema de ovo, alimentos enriquecidos com vitamina D e sardinha enlatada.

Magnésio: A concentração de magnésio também encontra-se frequentemente diminuída nestes pacientes, mas ele é importante para a saúde pois é utilizado no transporte de energia pelo corpo e ajuda a controlar melhor a dor. Alguns alimentos ricos em magnésio são: banana, abacate, semente de girassol, leite, granola e aveia.

NOSODIOTERAPIA: Tratamento de 01 ano

Constitucional de Bach Nº ___ Adquira 01 frasco a cada 03 meses. O 1º é tomado em jejum 24 horas antes de iniciar o tratamento com os Nosódios. (envie-nos informações sobre a sua idade, peso e altura para que possamos determinar). Agende os outros e não esqueça de adquirir bem antes para que dê tempo de chegar.

05 frascos de Nosódio Muscular: 05 gotas manhã e noite. Iniciar o tratamento 24 horas depois que tiver tomado o Bach. Dê um espaço de 15 a 20 minutos entre um nosódio e outro.

05 frascos de Mio Nosódio: 05 gotas manhã e noite. Iniciar o tratamento 24 horas depois que tiver tomado o Bach. Dê um espaço de 15 a 20 minutos entre um nosódio e outro.Parte superior do formulário

PRODUTOS NATURAIS:

02 Caixas de Dolomita – Modo de usar: 01 colher de chá sobre os alimentos em 01 refeição/dia. Pode ser na vitamina ou sobre o feijão ou no pão. É difícil de misturá-la em água, mas é fácil se for misturada no mel. Uma colhe de sopa de mel é o suficiente.

FITOTERAPIA:

Chás para fibromialgia: Ginkgo-biloba erva de São João, Cipó de Junco, Santa Branca, e também Valeriana, Arnica, Calêndula, Erva Baleeira, Garra do diabo, Gengibre, Ginkgo biloba, Graviola, Cipó Mil Homens, Unha de Gato, Uxi Amarelo, Sucupira, Erva Andorinha.

Use chás de forma complementar, lembrando de diversificar. Exemplo:

Chá de erva de São João, esta erva possui propriedades relaxantes, diminuindo assim as dores da fibromialgia, sendo por isso outro excelente remédio natural para fibromialgia.

Modo de usar: Coloque uma colher de sopa da erva em pó numa garrafa térmica de 01 litro. Complete com água fervente (bobulhante) e tampe. Só tome a primeira xícara depois de 15minutos. Pode tomar uma xícara de chá 03 X no dia ou ir tomando xícaras de cafezinho ao longo do dia. Beba morninho. Esta quantidade dá para tomar de 4 a 5 xícaras do chá da erva no dia em que estiver com muitas dores no intervalos de seis a oito horas, pois o chá irá agir como um relaxante muscular e aliviar as dores causadas pela fibromialgia. Doses menores ao longo do dia também previnem o aparecimento de dores musculares.

Suco de couve para fibromialgia

1 copo de suco puro de laranja + 2 folhas de couve: Não adoçar

Modo de Fazer:

Bater muito bem todos os ingredientes no liquidificador e tomar a seguir, sem coar. Recomenda-se tomar este suco 2 vezes ao dia, 1 em jejum e outra ao final da tarde. Varie o sabor do suco, batendo a couve com outras frutas como abacaxi, limão ou maçã… Ou outra de sua preferência. Consumir a couve sempre crua.

A couve é rica em cálcio, ferro e fósforo e nas vitaminas A, B e C que ajudam a tonificar os músculos, fortalecer os ossos, melhorar a circulação sanguínea, aumentar a energia e desintoxicar o organismo, sendo excelente para diminuir as dores provocadas pela fibromialgia. Este remédio caseiro deve ser tomado diariamente e em aproximadamente 1 mês, o indivíduo já se sentirá melhor. Mantenha o suco em sua vida, pois há outros benefícios como melhora da qualidade do sangue, da anemia, da imunidade.

Se trabalhar fora, leve a couve do suco da tarde picadinha e numa lanchonete peça para baterem com o suco de laranja.

Tratamento de 03 a 06 meses – Medicação abaixo para 40 dias

05 Frascos de Floral Essencial Canela de velho – Modo de Usar: 30 gotas em 200 ml de água 03 X dia: 07 – 14 e 21 horas.

05 Frascos de Floral Essencial Fibromin – Modo de Usar: 30 gotas em 200 ml de água 03 X dia: 07:30 – 14:30 e 21:30 horas.

05 Frascos de Floral Essencial Ginkgo-biloba: Modo de Usar: 30 gotas em 200 ml de água 02 X dia: 06 – 18 horas. Melhora a circulação e retira metabólitos, trazendo sensação de alívio das dores da fibromialgia.

03 Frascos de Floral Essencial Revitalorg S/E: Modo de Usar: 30 gotas em 200 ml de água 01 X dia: 08 horasParte inferior do formulário

ACUPUNTURA

A acupuntura e a fisioterapia também podem auxiliar, e muito, na redução das dores causada pela doença. Se você sofre com problema, lembre-se

de:

Não carregar peso;

Evitar situações estressantes;

Fazer atividades físicas adequadas para o seu caso;

Procurar posições confortáveis quando for ficar na mesma posição por muito tempo.

Parte superior do formulário

Parte inferior do formulário

ACUPUNTURA
A acupuntura e a fisioterapia também podem auxiliar, e muito, na redução das dores causada pela doença. Se você sofre com problema, lembre-se
de:
■ Não carregar peso;
■ Evitar situações estressantes;
■ Fazer atividades físicas adequadas para o seu caso;
■ Procurar posições confortáveis quando for ficar na mesma posição por muito tempo

Atenção: Qualquer produto citado neste post não é um medicamento e não substitui o tratamento médico. Terapias citadas neste post não substituem a visita ao seu médico regularmente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *